José Aldo rebate provocação de Henry Cejudo: ‘Só quero que ele assine o contrato!’

Ex-campeão dos penas surge mais magro em evento, mostra que pode conseguir atuar entre os galos e pede que campeão decida futuro

J. Aldo em pesagem pelo UFC. Foto: Reprodução/YouTube UFC

Depois da derrota sofrida para Alexander Volkoanovski, no UFC 237, em maio deste ano, o ex-campeão dos penas (até 65,7kg.) surpreendeu a muitos ao dizer que pretende migrar para os galos (até 61,2kg.) para enfrentar o atual campeão, Henry Cejudo. Após resposta positiva e provocações do norte-americano, o manauara, em evento de lançamento de um documentário sobre Pedro Rizzo, pediu que o ‘Triplo Campeão’ parasse de falar e assinasse o contrato. A declaração foi feita ao ‘Combate’.

Saiba mais

Cotado para substituir Cigano, Ngannou escreve: ‘UFC Moscou em 18 dias?’
Weidman manda recado a críticos: ‘Podem rir, mas ainda posso ser campeão’
Dana White deseja sorte a Velasquez no WWE: ‘Espero que faça muito dinheiro’

“Só quero que assine o contrato. Só isso. Ele fala muito, mas não faz nada. Ele não fez nada, ganhou apenas o título de 57kg (moscas, 56,7kg.) e não defendeu, nem nada. Está falando o quê? Ele é medalhista olímpico. Beleza, vamos respeitar. Mas, dentro do Ultimate, não fez nada ainda”, disparou o ‘Campeão do Povo’.

Ciente de suas virtudes no esporte, Aldo se mostra confiante quanto à superioridade, quando comparada ao talento de Henry. Campeão dos moscas desde 2018, quando bateu Demetrious Johnson, considerado o melhor atleta da história da divisão por suas vitórias e recorde na quantidade de defesas de título, Cejudo se arriscou na divisão dos galos para tentar conquistar o título vago da divisão.

O norte-americano provou, neste momento, que não é apenas feito de promoções. O atleta conseguiu uma ótima vitória sobre Marlon Moraes, seu adversário para o desafio, e entrou para o seleto grupo de atleta que ostentam dois títulos em categorias diferentes.

Caso consiga, de fato, chegar limite dos galos, Aldo prevê vantagem sobre o campeão em alguns aspectos. Segundo o manauara, ele conseguiria anular a principal características de Cejudo, que é o Wrestling, modalidade que tornou o norte-americano campeão olímpico nas Olimpíadas de Pequim, em 2008.

“Ele é baixo, já começa por aí. Tem o wrestling, é medalhista olímpico, não desrespeitando, mas me colocar para baixo é muito difícil. Assim que houver oportunidade, vou encaixar meu joelho nele e nocautear. Não só ele, qualquer um. Hoje em dia, estou pensando em desenvolver o kickboxing ou a trocação, um estilo bem agressivo, do que pensar em estratégia. Na minha última luta, esperei tanto que passei do ponto e não fiz nada”, afirmou José.

Sobre o peso, o ‘Campeão do Povo’ afirma que está seguindo uma nova dieta. O brasileiro mostra confiança em provar que os críticos se enganaram ao dizerem que o combatente não conseguiria passar pelo corte de peso.

“O peso está caindo bem. Nunca tinha feito dieta na vida. Estou mantendo 68kg ou 69kg (cerca de 7kg. acima do limite), treinando forte. Se fosse para bater o (peso) pena, nem sofreria. Dei até uma segurada porque estava baixando muito. É certo lutar de 61kg. Estou esperando o Cejudo decidir se vai lutar ou não”, relatou.

Os planos para enfrentar Cejudo, no entanto, devem ficar para o ano que vem. O norte-americano se recupera de uma cirurgia no ombro, enquanto o brasileiro precisa acostumar seu corpo às condições de uma categoria abaixo da que vinha atuando há mais de 10 anos.

Aos 33 anos, Aldo soma 33 lutas em sua carreira profissional, com 28 vitórias e cinco derrotas.

Menos experiente, Cejudo tem menos da metade dos combates do manauara. Henry atuou em 15 oportunidades, vencendo 13 e perdendo duas.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário