Presidente do Bare Knuckle sugere estreia de Wanderlei Silva para fevereiro

David Feldman quer brasileiro em grande evento no início de 2020 no ‘boxe sem luvas’; adversário ainda não foi divulgado

W. Silva pode estrear no boxe sem luvas em fevereiro. Foto: Reprodução/Twitter @BellatorMMA

Desde que Wanderlei Silva foi apontado como um dos atletas que irá compor o grupo de lutadores do Bare Knuckle, uma espécie de ‘boxe sem luvas’, os fãs do veterano aguardam para saber quando será a estreia do guerreiro na nova modalidade. Segundo David Feldman, presidente da empresa, o debute deve acontecer logo no início de 2020. Em entrevista ao ‘BJPenn.com’, o mandatário sugeriu que o curitibano lute em fevereiro, com adversário ainda não confirmado.

Veja Também

Sam Alvey quebra mão em treinamento e está fora de luta contra Shogun no UFC São Paulo
Gabriel ‘Vem Tranquilo’ é finalizado em estreia como lutador profissional
VÍDEO: Assista à vitória de Douglas Lima sobre Rory MacDonald no Belaltor 232

“No início de 2020, nós vamos anunciar um grande espetáculo em fevereiro e ele (Wanderlei) vai estar nele”, disse Feldman.

Os ânimos para a assinatura do contrato de Silva com a organização se dividiram entre empolgação e preocupação para com a saúde do atleta, que revelou, no início de 2019, apresentar sintomas de uma doença chamada popularmente de ‘demência pugilística’ (Encefalopatia Traumática Crônica – ETC), causada por acúmulo de impactos contra na cabeça durante sua carreira. Na época, em entrevista ao ‘Portal do Vale Tudo’, o ‘Cachorro Louco’ falou abertamente sobre o tema.

“Estive numa palestra sobre concussão e, de 10 sintomas que o ‘cara’ deu, oito eu tinha. Por exemplo: alteração de humor, esquecer algumas coisas, dificuldade no sono. No nosso tempo, eu, por exemplo, acreditava que, quanto mais soco você tomava, você aguentava mais. E é ao contrário: quanto mais socos você leva, menos você aguenta na hora da luta”, disse o veterano.

Ao ser indagado sobre a condição de saúde de Wand, o David afirmou que todos os atletas que se apresentam no ringue da nova organização são devidamente avaliados por um corpo médicos e apenas são liberados para combate no caso de estarem aptos a realizar embates.

“Todos os nossos lutadores recebem tratamentos médicos extensivos, mais do que qualquer estado exige. Todos os lutadores no evento principal tinham que fazer uma ressonância magnética no cérebro, exames de sangue, exames oftalmológicos”, disse Feldman. “O que você imaginar, eles fizeram. Pode haver rumores de ‘ETC’, mas eles vão ter atendimento médico. E, se não passarem com sucesso, não vão lutar por nós”, comentou.

Com aval dos profissionais de saúde, caso seja liberado, Silva ainda não tem adversário confirmado para realizar sua estreia no novo esporte. Recentemente, o combatente desafiou Vitor Belfort para uma super apresentação, no entanto, o duelo pode ter um agente dificultador, já que o ‘Fenômeno’ tem contrato com o ONE FC.

O nome de Gabriel Gonzaga, que bateu Antônio Pezão no último dia 19, também foi descartado. Segundo David, a empresa projeta um grande oponente para Wanderlei, mas ainda não está na hora de revelar ao público.

“Nós estamos pensando em outros nomes que fazem mais sentido para Wanderlei. Alguns nomes que as pessoas ficarão chocada quando anunciarmos. Nós nunca sabemos o que pode acontecer”, finalizou o presidente.

Silva se apresentou pela última vez em setembro do ano passado, quando dividiu pela quarta vez o campo de batalha contra Quinton Jackson, pelo Bellator. Na ocasião, o brasileiro acabou nocauteado no segundo round.

Aos 43 anos, Wand soma 51 lutas como profissional no MMA. Foram 35 triunfos, 14 derrotas, um empate e um combate sem resultado. O atleta tomou fama mundial após ser um dos atletas mais dominantes do extinto PRIDE, no início dos anos 2000.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments