Rival de Walker neste sábado, Corey Anderson quer frear ascensão do brasileiro: ‘Vou impedir que isso aconteça’

Norte-americano critica sistema de ranqueamento do Ultimate, minimiza talento de Johnny e mostra confiança em vitória no UFC 244

C. Anderson (foto) garante foco para bater J. Walker no UFC 244. Foto: Reprodução/Facebook Corey Anderson

O brasileiro Johnny Walker conquistou fama meteórica desde que estreou pelo Ultimate. Com três vitórias imponentes, o atleta logo surpreendeu o público e despontou como um dos lutadores favoritos do público na divisão dos meio-pesados (até 93kg.). Corey Anderson, rival de Walker deste sábado (2), no UFC 244, terá o papel de vilão no card e quer interromper o sucesso do adversário, a quem considera apenas mais um compromisso. A declaração foi feita ao ‘Combate’.

Veja Também

Askren cogita aposentadoria após derrota para Demian: ‘Estaria mentindo se dissesse que não’
Cerrone confirma negociação para enfrentar McGregor: ‘Vai ser divertido’
Estrela do boxe, Tyson Fury quer se arriscar no MMA e pede ajuda de McGregor

“Eu vejo essa luta como vejo todas as outras. Eu me vejo como o melhor da categoria. Cometi meus erros no passado, aprendi com esses erros e hoje estou colocando o que aprendi em prática. Vou entrar lá com a mão erguida e fazer o que eu sempre faço: vou dominá-lo no UFC 244. Vou impor o ritmo, usar meus golpes, meu alcance, meu queixo, meu jiu-jítsu, tudo o que tenho no meu arsenal”, disse o norte-americano.

O combatente também minimizou o talento de Walker. Segundo Corey, a estratégia e postura de luta do lutador de Belford Roxo (RJ) são facilmente telegrafados. Para ele, é tudo uma questão de misturar estilos para se decifrar os segredos para derrotar o brasileiro.

“Eu não posso chegar lá só com uma carta na manga, que é o que ele faz. E eu vou provar isso lá dentro. Tem muita comoção em volta do Johnny Walker. Ele virou o queridinho. Todo mundo espera que ele seja o próximo campeão. Sempre tem alguém assim, mas pouquíssimos que entram no UFC continuam mantendo o nome no topo. O Johnny Walker é o cara que o UFC quer ver vencer, estão investindo nele, querem que ele chegue ao topo e meu trabalho é impedir que isso aconteça”, afirmou.

Atualmente na sétima posição no ranking da categoria, Anderson pode servir como uma espécie de escada para que Walker chegue, enfim, ao topo da categoria. No entanto, o norte-americano criticou o sistema de ranqueamento do Ultimate, afirmando que são adotadas contagens diferentes com relação a um atleta e outro.

“Eu sou esse cara que vence e continua no ranking para sempre sem subir posições porque não sou tão popular. Eu venci o Glover Teixeira (2018) quando ele era o terceiro e eu o oitavo, e caí para a nona posição. E ele foi parar em décimo. Como isso acontece? Eu venci o terceiro colocado e não consegui nem entrar no top 5. Dominick Reyes venceu o Volkan Oezdemir, que estava na sexta posição, e passou a ser o número três ou quarto do ranking? Algo não faz sentido”, indagou o meio-pesado.

Corey, de fato, vive um bom momento na carreira. Depois de ter passado por uma fase conturbada, em 2017, quando foi derrotado em dois compromissos consecutivos, o atleta conseguiu se recuperar e emendar três vitórias seguidas, a última em dezembro do ano passado, quando bateu Ilir Latifi, no UFC 232.

A batalha entre Walker e Anderson está confirmada para fechar o card preliminar do evento, que tem previsão de início às 19h15.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments