Mesmo vencendo a primeira luta pelo Ultimate, Ariane Lipski revela mágoa com vaias do público: ‘Muito triste’

Brasileira, que derrotou Isabela de Pádua no UFC São Paulo, não compreende insatisfação da torcida e faz críticas à rival, que teria mentido sobre peso

A. Lipski após vitória no UFC São Paulo. Foto: VH Gonzaga

A brasileira Ariane Lipski tirou um peso das costas após vencer sua primeira luta desde que estreou pelo Ultimate. A atleta que vinha de duas derrotas, bateu Isabela de Pádua, escalada para o combate pouco mais de 24 horas antes do UFC São Paulo, ocorrido no último sábado (16), e respirou dentro da empresa. Após um combate equilibrado, a curitibana acabou vaiada quando foi anunciada vencedora do confronto e, em entrevista após o evento, com presença do SUPER LUTAS, criticou a rival e revelou mágoa com o público presente no Ginásio do Ibirapuera.

Veja Também

Após bater Barão, D’Silva diz lamentar má fase do brasileiro: ‘Preferia ter enfrentado outro oponente’
Massaranduba pede luta contra Edson Barboza para o UFC Brasília, em março: ‘Vamos nos quebrar na porrada’
Peso pesado do UFC é preso na Rússia suspeito de sequestro e extorsão

“Isso é uma coisa que me deixa muito triste, galera. Eu sou uma atleta muito conhecida fora do Brasil. Tenho muitos fãs na Europa, muitos nos Estados Unidos e eu estou tentando mostrar o meu trabalho para o Brasil e ter o apoio do meu próprio país e, infelizmente, eu não tenho. Então, eu não acho legal”, comentou a lutadora.

Durante o confronto, Isabela acabou penalizada com um ponto após desferir um chute ilegal na compatriota, desferido de baixo para cima. Em desvantagem, de Pádua precisava tirar o prejuízo e acabou, em alguns momentos, proporcionando momentos de perigo à Lipski, o que fez com que uma parte do público torcesse contra à curitibana.

Ariane viveu uma verdadeira novela para sua apresentação no card paulista. A curitibana teve sua adversária alterada por duas vezes nas vésperas do evento e ainda teve de conviver com sua rival de sábado não ter batido o peso limite da categoria das moscas (até 56,7kg.). Isabela ficou cerca de 2kg acima da curitibana.

A brasileira aproveitou para fazer duras críticas a Pádua, a quem acusou de ter mentido sobre o peso real para poder se apresentar no UFC São Paulo. Segundo Lipski, Isabela sabia que não conseguiria chegar ao limite das moscas e, ainda assim, se ofereceu para lutar, tomando o lugar de outra atleta.

“A Isabela mentiu sobre o peso. Ela disse que iria bater o peso e tirou a vaga de uma outra atleta que estava disposta a cumprir o compromisso. Na quinta-feira (14), eu estava lá (no hotel, em São Paulo), no peso, e ela ficou 2kg. acima; aí o UFC me deu duas opções: ‘ou você não aceita luta, pega a sua bolsa, mas não sabemos quando você vai lutar de novo; ou aceita a luta, pega 30% da bolsa (de Isabela, como medida de punição), mas saiba que ela vai estar mais pesada”, informou a curitibana.

Ariane, no entanto, fez questão de afirmar que estava bem preparada para qualquer que fosse o desafio para este final de semana. Segundo a atleta, o período de treinamento foi bem realizado, o que a deixaria pronta para conquistar sua primeira vitória.

“Eu me preparei quatro meses. Nós viajamos para os Estados Unidos. Treinei com atletas de alto nível. Eu evoluí muito e quis provar tudo o que eu treinei nessa luta. Eu não queria deixar passar essa oportunidade”, contou.

Vindo de duas derrotas, a curitibana, porém, revelou que tentou se expor o menos possível, para evitar um novo resultado negativo. Embora tenha sido uma disputa parelha, Ariane não deixou de tentar ações e tentar pontuar durante o confronto.

“Eu procurei vencer a luta do início ao fim. Não quis fazer coisas que pudessem me arriscar, pelo momento que eu vivia dentro do UFC. Estava vindo de duas derrotas, então, eu preciso garantir meu contrato. Fiz uma luta segura do começo ao fim e o resultado está aí. Estou muito feliz”, disse a peso mosca.

Ariane protagonizou um momento emocionante, quando perguntada para quem seria dedicada a vitória deste final de semana. A lutadora, então, falou sobre o início da carreira e das dificuldades enfrentadas para chegar ao patamar que se encontra hoje.

“Ao meu marido, que é meu treinador. Ele acreditou em mim desde minha primeira luta amadora. A galera olha para mim e pensa que sou uma ‘patricinha’, mas não sabe de onde eu vim. Não tinha dinheiro para pegar ônibus, para comprar um ovo. Então, a pessoa que me ajudou nos momentos mais difíceis foi ele”, finalizou a combatente.

Lipski, agora, retoma o caminho das vitórias. Antes de estrear pelo Ultimate, a curitibana chegava à empresa com status de promessa, vindo de nove triunfos consecutivos. Agora, Ariane aguarda seu próximo compromisso para dar início a uma trajetória vitoriosa pela empresa.

 

 

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments