Weidman garante permanência no UFC, mas não determina em qual divisão vai atuar

Ex-campeão dos médios recentemente teve frustrada sua estreia entre os meio-pesados contra Dominick Reyes; aposentadoria é descartada

C. Weidman foi detentor do cinturão dos médios por dois anos. Foto: Reprodução/Instagram @chrisweidman

O ex-campeão dos médios (até 83,9kg.), Chris Weidman, vive um verdadeiro pesadelo na carreira. Após chocar o mundo ao derrotar o lendário Anderson Silva em duas ocasiões (2013), o atleta, hoje, vive um momento complicado. Sem vencer há mais de dois anos, o atleta convive com críticas sobre suas últimas atuações, a última, quando foi duramente batido por Dominick Reyes em sua estreia entre os meio-pesados (até 93kg.). Em entrevista ao ‘Ariel Helwani’s MMA Show’, o norte-americano falou sobre o futuro no esporte e garantiu que permanecerá lutando.

Veja Também

Após terceira derrota seguida, Serginho Moraes é dispensado pelo UFC, diz site
Nick Diaz confirma planos para retornar ao MMA: ‘Devo lutar em breve’
Mayweather projeta duas lutas em 2020, uma delas contra estrela do UFC

“Definitivamente vou continuar lutando. Não há dúvidas em relação a isso. Eu vivi um inferno. Tive 23 cirurgias, mas eu me sinto bem agora. Eu sei que parece loucura, mas eu ainda acho que sou capaz de realizar grandes feitos”, disse Weidman.

Não há dúvidas que o norte-americano foi responsável por encerrar a hegemonia do atleta que, para muitos, é considerado o melhor da história do esporte. Quando derrotou Anderson, Weidman esteve no topo do mundo e teve fama mundial.

O atleta conseguiu defender seu título por três oportunidades, todas elas contra brasileiros (‘Spider’, Vitor Belfort e Lyoto Machda). Entretanto, em dezembro de 2015, o norte-americano amargou a derrota e viu seu título escorregar pelas mãos ao ser derrotado por Luke Rockhold em evento válido pelo UFC 194.

Depois do revés para o compatriota, que também marcou o primeiro resultado negativo da carreira do lutador, Weidman não conseguiu mais se encontrar na carreira. Foram cinco apresentações, quatro derrotas e apenas um triunfo, quando bateu Kelvin Gastelum, em julho de 2017.

Em 2019, após uma série de maus resultados, Chris resolveu se aventurar na divisão dos meio-pesados. Logo de cara, o atleta foi escalado para enfrentar uma das grandes promessas da divisão, Dominick Reyes, que, hoje ocupa a quarta posição no ranking e garantiu o direito de enfrentar Jon Jones pelo título da categoria. O combate foi recentemente agendado para 8 de fevereiro, no UFC 247.

Contra Reyes, Weidman mostrou fragilidade e foi frustrado quando tentou trocar forças contra um rival de maior estatura e poder. O norte-americano acabou sucumbindo ao rival com menos de dois minutos de combate e amargou seu quinto nocaute em cinco derrotas.

Depois da nova derrota, Chris fez questão de garantir que não pensa em aposentadoria. O atleta, no entanto, questionado sobre em qual divisão irá realizar seus próximos confrontos, admitiu que ainda resta dúvida sobre qual decisão tomar.

“Eu não tenho certeza se vou voltar para os médios ou continuar entre os meio-pesados”, finalizou o ex-campeão.

Atualmente com 35 anos, Weidman, hoje, soma 19 apresentações em sua carreira como profissional no MMA. O lutador tem 14 vitórias e cinco derrotas.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments