Renato Moicano sobe para os leves e desafia Clay Guida para luta no UFC Brasília

Brasileiro confirma sugestão de treinador para se testar na divisão dominada por Khabib Nurmagomedov; norte-americano é preferido para a estreia

R. Moicano quer atuar pelos leves em 2020. Foto: Reprodução/FacebookMoicano

O brasileiro Renato Moicano decidiu que é o momento de buscar novos ares dentro do Ultimate e sinalizou que pode ser visto atuando na divisão dos leves (até 70,3kg.) em breve. Vindo de duas derrotas consecutivas entre os penas (até 65,7kg.), o atleta desafiou o experiente Clay Guida para trocar forças no UFC Brasília, que acontece em 14 de março. Em entrevista ao ‘MMA Fighting’, o tupiniquim falou sobre a possibilidade para 2020.

Veja Também

Perto de estrear pelos galos, Aldo quer lutar mais sete anos: ‘Vou até os 40’
Kamaru Usman afirma que divisão dos meio-médios é a mais dura do UFC
Gaethje revela que pode ser ‘reserva’ na luta entre Khabib e Tony: ‘Se pagarem tudo, estou dentro’

“Alguns treinadores vinham me pedindo me testar na categoria dos leves. A princípio, eu estava apreensivo, mas Mike Brown (treinador) me pediu algumas vezes desde que me mudei para a ‘ATT’ (American Top Team). Nós costumávamos cortar muito peso no Brasil e isso nunca foi um problema, mas eu sofri muito com isso nos últimos três compromissos”, afirmou o atleta.

Para sua estreia, o brasileiro já traçou os planos sobre contra quem gostaria de se testar. Moicano escolheu o experiente Clay Guida para trocar forças no card que representará a primeira vez em que a comitiva do Ultimate desembarcará em Brasília.

“Sou um grande fã dele (Clay) e, como ele já se apresentou algumas vezes no Brasil antes, acho que não seria um problema. Ele é um veterano e um atleta muito popular. Então, acho que seria interessante fazer uma luta principal ou co-principal, em Brasília”, declarou Renato.

A opção por subir de divisão, além do maior conforto no corte de peso, se dá, segundo o brasileiro, pela falta de opções de possíveis adversários no momento. O momento, então, seria o ideal para que Moicano se arriscasse na divisão dominada por Khabib Nurmagomedov, mas o atleta não descarta voltar aos penas no futuro.

“Eu não excluo a possibilidade de voltar aos penas, porque minhas derrotas foram para lutadores do top 5. Estou em oitavo no ranking e eu não sei contra quem poderia lutar lá. É um ótimo momento para me testar nos leves e ver o que acontece. Está tudo muito flexível hoje. Você vê atletas mudando de categoria o tempo todo e estou aberto a fazer isso para combates que valham a pena”, finalizou o combate.

O ano de 2019, em questão de resultados, acabou não sendo positivo para moicano. Logo em fevereiro, o atleta teve pela frente um dos maiores desafios da sua carreira, quando aceitou encarar o ex-campeão da divisão, José Aldo, no UFC Fortaleza. O brasiliense acabou derrotado pelo manauara por nocaute e somou sua segunda derrota na carreira.

Renato voltou ao octógono em junho e enfrentou o ‘Zumbi Coreano’ na luta principal do UFC Greenville. Na oportunidade, o brasileiro acabou sofrendo mais um nocaute, ao ser surpreendido logo no primeiro round pelo rival.

Aos 30 anos, Moicano, hoje, soma 17 lutas, com 13 vitórias, três derrotas e um empate.

Clay Guida, desafiado pelo brasiliense, tem mais do que o dobro de apresentações em sua carreira no MMA. O norte-americano de 37 anos tem 54 lutas, com 35 triunfos e 19 reveses.

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments