Borrachinha recomenda que Adesanya não enfrente Romero: ‘Acho que ele não aguenta’

Brasileiro, que se recupera de uma lesão no bíceps, afirma que campeão deveria esperá-lo para voltar ao octógono, e não aceitar um confronto contra cubano

P. Borrachinha (foto) volta a provocar I. Adesanya. Foto: Reprodução/Instagram @borrachinhamma

Quem avisa amigo é. O brasileiro Paulo Borrachinha, desafiante número dois dos médios (até 83,9kg.) é o atleta favorito a disputar o título da categoria. No entanto, uma lesão no bíceps afastou o mineiro do octógono temporariamente e abriu a possibilidade para o campeão, Israel Adesanya, atuar contra um novo oponente.  O UFC sugeriu uma luta de Yoel Romero pelo título, pedida pelo próprio nigeriano. Paulo, então, aconselhou Israel a não aceitar o confronto, ciente dos perigos que Romero pode promover. Em entrevista ao ‘Combate’, o brasileiro falou sobre o assunto.

Veja Também

Walker confirma período de treinamentos com técnico de St.Pierre para UFC Brasília 
Em grande fase no UFC, Raoni Barcelos espera bom duelo contra primo de Khabib neste sábado
Ex-UFC e antigo ‘número um’ meio-médio do Bellator, Rory MacDonald assina com a PFL

“O que realmente eu acho, muita gente pode não concordar, mas vejo um monte de buraco, de fraquezas no (Israel) Adesanya, principalmente física. Ele deveria estar na categoria de baixo, o meio-médio (até 77gk.). Para lutar contra mim, contra o (Yoel) Romero, ele vai sofrer muitos golpes contundentes, e acho que não tem a resistência necessária para absorver. Eu respeito todo mundo que acha que ele é muito bom. Eu acho que ele tem qualidade, mas não sobrevive ao Romero”, disse o brasileiro.

Borrachinha pode falar com propriedade sobre os perigos de enfrentar o cubano. Afinal, foi contra Yoel que o mineiro conquistou uma de suas vitórias mais importantes de sua carreira em uma verdadeira batalha, no UFC 241, em agosto. Além de estar ciente dos perigos impostos por Romero, Paulo critica a possibilidade de inserir um adversário que vem de três derrotas em suas quatro últimas apresentações para uma disputa de cinturão.

“Pode lutar, pode não lutar. Eu acho que o Adesanya não deveria lutar. Deveria me aguardar para fazer essa luta, porque o Romero vem de derrota. Não é legal. Por outro lado, não tem ninguém na divisão para lutar contra ele”, indagou Borrachinha.

A previsão de recuperação total do brasileiro é para abril. Caso o nigeriano aguarde pelo mineiro, terão passados seis meses desde que Adesanya unificou seu cinturão em luta contra Robert Whittaker, no 243.

Há meses, os atletas têm criado uma grande rivalidade e tornado o embate entre eles iminente e aguardado pelos fãs de MMA.

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário