Michael Bisping critica realização de superlutas no UFC: ‘Virou palhaçada!’

Ex-campeão dos médios afirma que modelo de promoção de combates minimiza o valor dos títulos instituídos pela empresa

M. Bisping (foto) em entrevista. Foto: Reprodução/Instagram @mikebisping

Nos últimos anos, o Ultimate tem intensificado a promoção de combates entre atletas que podem promover ao público verdadeiros espetáculos e que resultam em cifras satisfatórias à empresa. Nem sempre a companhia respeita o ranking e acaba por estabelecer uma espécie de ‘trava’ em algumas divisões, o que irrita alguns competidores. Michael Bisping, ex-campeão dos médios (até 83,9kg.), criticou as ações realizadas pela sua antiga contratante e justificou seu pensamento em seu podcast ‘Belive You Me’.

Veja Também

Técnico garante McGregor com jiu-jitsu afiado para luta contra Cerrone
Ultimate planeja revanche entre Rose Namajunas e Jéssica ‘Bate-Estaca’ para abril
Após flagra em antidoping, Bruno ‘Blindado’ recebe punição de dois anos no MMA

“Estou de saco cheio de superlutas, para ser sincero. Quero ver os campeões defendendo seus cinturões. Isso de ficar saltando divisões. Nos últimos anos, virou palhaçada”, disparou Bisping.

O norte-americano argumentou que um atleta pode, de fato, realizar um confronto contra outro oponente em qualquer que seja a categoria, no entanto, concorda que um campeão deva sempre abrir mão de seu título, caso queira se aventurar em um outro grupo, mais leve ou pesado.

“No futuro, sinto que o UFC não será mais tão rápido para fazer superlotas. A apesar de capturarem a atenção do público, faz com que eles tenham que abrir mão do título, como Henry Cejudo, por exemplo”, disse o norte-americano, que explicou a situação do ex-campeão dos moscas (até 56,7kg.). “Vai ser Joseph Benavidez encarando o (Deiveson) Figueiredo pelo título vago. É isso que eles têm que fazer”, opinou.

No últimos ano, por exemplo, o Ultimate realizou algumas superlotas envolvendo atletas de divisões diferentes, como o combate entre TJ Dillashaw, que foi aos moscas encarar Cejudo (e saiu derrotado); Max Holloway, que se arriscou nos leves (até 70,3kg.) em combate contra Dustin Poirier na disputa pelo cinturão interino; e, no fim de 2018, Amanda Nunes, que subiu de divisão e conseguiu tomar o título das penas de Cris Cyborg.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

2 Tópico de comentário
0 Responder Comentário
0 Seguir
 
Comentário com mais reações
Tópico de comentários mais discutido
2 Comentários do autor
Daniel Vieirapacote Novos comentários do autor
pacote
Membro

Bisping é inglês

Daniel Vieira
Membro
Daniel Vieira

Falou o cara que não enfrentou o jacaré no auge e sim o Dan Henderson e Georges St Pierre, arregaço do caramba!