Felipe Cabocão espera grande atuação contra Montel Jackson neste sábado: ‘Muita vontade de vencer’

Vindo de vitória, promessa dos galos fala sobre a expectativa para luta no UFC Raleigh

F. Cabocão se apresenta no UFC Raleigh. Foto: Reprodução/Instagram @felipecabocao

Com estreia pelo Ultimate em fevereiro do ano passado, Felipe Cabocão não esconde a expectativa para novamente calçar as luvas da empresa. O brasileiro será um dos representantes tupiniquins no UFC Raleigh, que acontece neste sábado (25), nos Estados Unidos, e busca sua segunda vitória pela empresa para continuar sua trajetória rumo ao topo da divisão dos galos. Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, o amapaense falou sobre o duelo contra Montel Jackson.

Veja Também

Johnny Walker revela ‘calote’ de R$120 mil de antigo treinador e admite procura por novo ‘mentor’
Derrotado por McGregor, Cerrone recebe seis meses de suspensão médica
Vitória sobre Cerrone coloca McGregor oficialmente no ranking dos meio-médios

“Eu fiquei sabendo dessa luta (contra Montel) em outubro. A partir daí, eu já comecei a procurar parceiros de treinos com o jogo semelhante ao dele. Pessoas mais baixas, mas com grande envergadura. Estou bem preparado para o que vai vir”, disse Felipe.

Cabocão fez seu debute pelo Ultimate em duelo contra Geraldo de Freitas. Na ocasião, o atleta foi um dos lutadores presentes no UFC Fortaleza e acabou sendo derrotado na decisão unânime dos juízes. A redenção de Felipe veio logo em seu segundo compromisso, em julho, quando saiu vencedor sobre Domingo Pilarte. O atleta afirmou que corrigiu erros cometidos e, agora, está tranquilo para entregar sua melhor performance aos fãs.

“(Contra Geraldo), foi uma luta que aceitei de última hora. Eu não estava tão bem preparado e acabei não conseguindo desempenhar meu melhor papel. Na segunda luta (contra Pilarte), eu entrei com mais cautela, porque, com duas derrotas consecutivas, eu poderia ficar em cima do muro. Agora, vou poder soltar meu jogo”, declarou o amapaense.

Aos 25 anos, Cabocão chegou ao Ultimate como uma das promessas para a divisão dos galos. A categoria, recentemente, tem se tornado uma das mais agitadas da empresa e ganhou um reforço de peso nos últimos meses, com a migração de José Aldo para o grupo.

Felipe aproveitou para comentar a polêmica envolvendo o ‘Campeão do Povo’, que estreou com derrota na categoria, mas, mesmo assim, está cotado para disputar o cinturão contra o atual número um da categoria, Henry Cejudo. Para Cabocão, a presença de Aldo na divisão engrandece o grupo e afirma que o manauara merece respeito pelo seu histórico no esporte.

“Eu acho que o (José) Aldo é um cara que tem de ser respeitado. Depois da apresentação dele, o Dana (White) viu que ele conseguiu cortar o peso e mostrou muita dedicação. Sempre tem que respeitar”, confessou Felipe.

Questionado sobre os planos para o futuro, em caso de vitória sobre Jackson, Felipe tentou se ‘esquivar’, mas afirmou que carrega o desejo de encarar um ex-desafiante ao título dos moscas (até 56,7kg.).

“Olha, eu quero me tornar um funcionário do UFC. Quem eles escalarem, eu vou atuar, mas tem um nome, que, se me desse, eu gostaria, que é o de Ray Borg. Ele tem uma estatura boa e seria um bom desafio para mim”, finalizou Cabocão.

Neste final de semana, Felipe irá completar sua 11ª apresentação desde que se tornou profissional no MMA. O brasileiro saiu vencedor em nove oportunidades e tem apenas um revés em sua trajetória no esporte.

Com cartel semelhante, Montel chega à marca de 10 lutas nas artes marciais mistas. O norte-americano, hoje, soma oito triunfos e um revés.

No UFC Raleigh, Felipe representará as cores do Brasil junto a dois ex-campeões pela empresa. Rafael dos Anjos (ex-número um dos leves) e Júnior Cigano (ex-campeão dos pesados) serão responsáveis pelas duas últimas lutas do espetáculo.

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments