Johnny Walker revela ‘calote’ de R$120 mil de antigo treinador e admite procura por novo ‘mentor’

Brasileiro acusa Leonardo Gosling de não ter cumprido acordos sobre parceria na Tailândia; meio-pesado procura novo treinador para seus futuros desafios

J. Walker (foto) volta ao Ultimate no UFC Brasília. Foto: Reprodução / Twitter ufcbrasil

Nos últimos dias, Johnny Walker revelou que um problema com seu antigo treinador, Leonardo Gosling, foi providencial para sua baixa performance no UFC 244, quando foi derrotado por Corey Anderson. Em entrevista ao ‘Ag.Fight’, o lutador de Belford Roxo (RJ) contou que sofreu um ‘calote’ de cerca de R$120 mil sob promessas de uma parceria com uma academia na Tailândia.

Saiba mais

Derrotado por McGregor, Cerrone recebe seis meses de suspensão médica
Vitória sobre Cerrone coloca McGregor oficialmente no ranking dos meio-médios
Após ‘show’ no UFC 246, saiba o que Conor McGregor pode esperar para o futuro

“Depois da minha cirurgia (no ombro), eu estava em Los Angeles e meu treinador queria fazer uma parceria com uma academia na Tailândia. A gente se mudaria para lá, colocaria meu nome e ele daria umas aulas também. Mandei 30 mil dólares (cerca de R$ 123 mil), confiando, mas acabou que ele não deu aula nenhuma, eu não tinha nada de direito lá e eu perdi 30 mil dólares. Estava com muitos problemas com ele. Agora estou liberto”, disse o brasileiro.

‘Livre’ no mercado e na busca de um novo treinador, Walker revelou conversas com dois técnicos de elite. O atleta entrou em contato com Firas Zahabi, técnico de Georges St.Pierre e John Cavanagh, responsável por cuidar de Conor McGregor. Segundo Johnny, ele terá experiências com os dois profissionais e definirá quem poderá ser seu novo ‘mentor’.

“Uns amigos assistiram o podcast do Joe Rogan (entrevistador oficial do UFC) e ele perguntou quem o Firas gostaria de treinar, que tinha um potencial para ser campeão, já que ele já tinha treinado o (Georges) St-Pierre. Ele disse que sou um grande nome, que gostaria de trabalhar comigo. Que eu ia aprender com ele e ele comigo. Depois que soube disso entrei em contato com ele. Estou sem técnico e procuro um para ficar comigo”, contou Walker.

Enquanto não define quem será o responsável por seus treinos no futuro, Walker se prepara para seu retorno ao octógono. Em 14 de março, no UFC Brasília, o atleta irá enfrentar Nikita Krylov e espera retomar o caminho das vitórias após o duro nocaute sofrido para Corey Anderson, em novembro do ano passado.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário