Jones afirma que ida para os pesados depende exclusivamente dos fãs: ‘Se quiserem, eu vou’

Norte-americano afirma que busca por novo cinturão pode ser determinada pelo público e mantém foco de permanecer no topo do MMA

J. Jones em coletiva após o UFC 239. Foto: Reprodução/YouTube UFC

O campeão meio-pesado (até 93kg.) Jon Jones está próximo de mais uma defesa de cinturão, neste sábado (8), quando enfrenta Dominick Reyes, pelo UFC 247. No entanto, as especulações sobre o futuro do ícone do MMA seguem como uma das principais pautas para a carreira do atleta. Em entrevista para a promoção do espetáculo deste sábado, o norte-americano falou sobre a possibilidade de migrar para os pesados (até 120,2kg.) e firmou o compromisso de se manter no topo do esporte.

Veja Também

Bethe ‘Pitbull’ volta ao octógono contra Pannie Kianzad, no UFC São Paulo
Valentina Shevchenko descarta superluta contra Weili Zhang: ‘Ainda tem muito a provar’
Dominick Reyes se diz pronto para responsabilidade de ser campeão: ‘Serei um exemplo’

“Se vocês (fãs) querem me ver lutando entre os pesados, então acho que o UFC vai satisfazer a vontade e vamos fazer acontecer”, afirmou Jones.

Para Jones, ser considerado o melhor do esporte é diretamente influenciado pelos feitos que se faz dentro e fora do octógono. É importante se manter focado e dar aos entusiastas do esporte aquilo que eles querem ver.

“Vai depender de vocês (fãs). No fim do dia, para ser considerado o melhor, é tudo questão de opinião. Você tem que continuar se esforçando para estar nas conversas. Quando se pensa no melhor lutador de todos os tempos, há muitos fatores que podem influenciar. Pode se considerar habilidades. Pode ser a forma com que se levam as coisas. Pode ser Conor McGregor, que é um grande cara de negócios no esporte. Pode ser o que você devolve para a humanidade. Pode ser muitas coisas. Contanto que eu esteja no assunto, estou feliz”, declarou.

Embora o desejo de se testar em outra divisão esteja maior do que nunca, Jon afirma que ainda não está saturado entre os meio-pesados. O combatente afirma que segue motivado a permanecer como ‘o cara a ser batido’ de sua divisão e isso pode fazer com que ele não elimine a possibilidade de se manter nela por mais um tempo.

“Muitas coisas têm dado certo entre os meio-pesados. Eu sinto que sempre vai haver grande competição desde que existam caras que queiram conquistar grandes coisas. É meu trabalho ficar aqui e ser o ‘sonho assassino’, de alguma forma. Ainda tenho muitos anos na minha categoria, mas também estou empolgado por desafios pessoais”, finalizou.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments