Após participar do UFC Brasília, canadense Randa Markos entra em quarentena em prevenção ao coronavírus

Peso palha confirma reclusão e reclama por não ter conseguido realizar teste para confirmar se contraiu a doença

R. Markos em pesagem para o UFC Brasília. Foto: Reprodução/Instagram randamarkos

Após ser derrotada por Amanda Ribas no UFC Brasília, no primeiro evento da história do Ultimate realizado com portões fechados, no último sábado (14), Randa Markos retornou ao Canadá e declarou sua frustração por não conseguir realizar o exame para saber se havia sido infectada pelo coronavírus (COVID-19). Por meio de sua conta no ‘Twitter’, a peso palha manifestou sua insatisfação com sistema de saúde de seu país, que não realiza teste em pessoas, a menos que ela manifeste sintomas da doença.

Veja Também

Para não cancelar o UFC 249, pai de Khabib sugere que luta contra Ferguson aconteça em Dubai
Dana White garante Khabib x Ferguson em abril e diz que pode tirar o UFC 249 dos EUA
IMAGEM FORTE! Joanna Jedrzejczyk mostra o rosto machucado pela primeira vez após o UFC 248

“Acabei de chegar em casa. Parei para fazer o teste de coronavírus em um centro e eles não me examinaram. Vôos longos com muitas pessoas, não estou me sentido bem e eu não estou em situação de risco? Tudo bem. Acho que vou ficar em casa por duas semanas”, escreveu a lutadora.

A canadense ainda completou a crítica afirmando que sua ida ao centro de saúde se deu como medida preventiva, já que viagens internacionais não têm sido recomendadas nos últimos dias, já que a proliferação do vírus tem aumentado cada vez mais nos países ao redor do mundo – inclusive no Brasil.

“Eu só quero estar salva. As coisas estão diferentes desde que eu viajei para lutar. As notícias mundam toda hora”, finalizou.

Randa não é a única atleta preocupada após o card realizado na capital federal. O rival de Francisco Massaranduba no útlimo final de semana, John Makdessi, também manifestou a preocupação de uma possível infecção após o espetáculo. Em declaração divulgada pelo ‘The Sun’, o canadense falou sobre o assunto.

“Estou de quartentena neste momento. Eu preciso de assistência médica. Não posso nem fazer isso. Não posso ir à sede do UFC (em Las Vegas) porque não posso viajar. E, aqui, os hospitais não vão me receber, por que estou em quarentena”, finalizou.

Até o momento, não há registros de atletas do Ultimate que tenham contraído a doença que assusta o mundo. Na última segunda-feira (16), o presidente da organização, Dana White, adiou os três próximos eventos da companhia como medida preventiva à proliferação do vírus.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário