Maior rival de Jones, Daniel Cormier lamenta nova prisão do campeão: ‘Não tive alegria nenhuma’

Ao ver antigo desafeto em apuros, DC discorda de insinuações de que o UFC deveria demitir ‘Bones’ e afirma que algoz precisa de ajuda

D. Cormier (foto) não comemora nova prisão de J. Jones. Foto: Reprodução Facebook UFC

Quando muitos imaginavam que o maior rival de Jon Jones no MMA, Daniel Cormier, comemoraria mais uma polêmica envolvendo o campeão dos meio-pesados (até 93kg.) do UFC, DC mostrou seu lado humano. Rejeitando qualquer possibilidade de bem-estar ao ver seu maior algoz em maus lençóis, após uma nova prisão na última semana, nos Estados Unidos, o ex-número um dos pesados e meio-pesados lamentou o novo incidente protagonizado por Jon.

Veja Também

Lesão tira Valentina Shevchenko da defesa do cinturão no UFC 251, em junho
Jon Jones quebra silêncio após nova prisão nos EUA: ‘Triste por decepcionar as pessoas’
Semifinais da FIFA Ultimate Quaran-Team agitam o mercado das apostas

“Ao vê-lo em problemas de novo, muitas pessoas ao meu redor me mandaram mensagens quase comemorativas, mas este não sou eu. Eu não vibrei com com o garoto se metendo em problemas novamente. Não acho que você deveria comemorar ou dançar no túmulo de alguém em seus momentos mais sombrios. Você é um ser humano ou esta competição passa por cima de tudo? Eu não tive alegria nenhuma ao ver este cara nesta situação de novo, porque isso é simplesmente ruim. Não só por ele. Ele tem filhas, tem uma noiva”, disse DC em entrevista à ‘ESPN’.

Daniel continuou a mostrar tristeza com a situação do companheiro de trabalho com quem dividiu o octógono em duas oportunidades. Segundo Cormier, após mais um caso envolvendo embriaguez, ‘Bones’ prova que precisa de ajuda e não conseguirá sair da situação sem o apoio do Ultimate.

“O garoto tem um problema. Independente de como eu me sinto, ele não vai mudar até que alguém tome uma atitude drástica. O UFC tem que tomar uma atitude”, disse Cormier.

Embora tenha sugerido uma ação por parte da organização, se engana quem imagina que o rival de Jon apoia a sugestão de que o campeão meio-pesado deveria ser desligado da empresa após repetidas polêmicas fora do MMA. Muito pelo contrário. Para DC, a companhia deveria dar suporte ao atleta de modo que o auxiliasse a tratar sobre seus problemas.

“Eu não acho que o UFC deveria demiti-lo. Acho que o UFC precisa salvá-lo. Ficar com ele, mas eles precisam realmente ajudá-lo, para que ele tente melhorar”, finalizou Cormier.

Rivalidade entre Jones e Cormier

D. Cormier (esq.) e J. Jones (dir.) em encarada para luta em 2016.
Foto: Reprodução / YouTube ufc

Jones e Daniel se enfrentaram por duas vezes na divisão dos meio-pesados, protagonizando uma das maiores rivalidades da história recente do MMA. Na primeira vez que trocaram forças, em 2015, DC acabou derrotado na decisão unânime dos juízes.

Os dois deveriam ter se enfrentado em uma revanche em 2016, mas Jon acabou flagrado em um exame antidoping e deu lugar a Anderson Silva, restando dois dias para o UFC 200.

Em 2017, enfim, os combatentes voltaram dividir a arena de combate. Com a rivalidade ainda mais acirrada, ‘Bones’ acabou superior ao rival e derrotou DC por nocaute, e, na ocasião, recuperou o cinturão, que havia perdido após ser destituído por problemas com a justiça. A vitória, no entanto, foi tirada de Jones depois que o atleta foi flagrado no exame antidoping.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário