Chris Weidman quer se reerguer na carreira para desafiar Israel Adesanya

Longe de sua melhor fase, norte-americano diz que motivação para enfrentar nigeriano pode ser essencial para voltar a vencer

C. Weidman deve retornar aos médios ainda em 2020. Foto: Reprodução/Instagram @chrisweidman

Embora esteja longe da melhor fase de sua carreira no MMA, Chris Weidman segue buscando motivações para retomar sua trajetória vitoriosa no esporte. Depois de falhar em seu teste entre os meio-pesados (até 93kg.), o atleta retornou aos médios (até 83,9kg.) e já tem um novo alvo para o futuro: o atual campeão, Israel Adesanya.

Veja Também

Ngannou admite dificuldades para manter foco em treinos durante o período da pandemia: ‘É estranho’
Companheiro de equipe de Covington, Pedro Munhoz contesta críticas a norte-americano
Henry Cejudo mostra evolução física na preparação para o UFC 249: ‘Pronto para destruir’

“Eu acho que ele (Israel) é um cara muito talentoso. Ele é o novo campeão. Tem a força de uma estrela e, como sempre disse, quero enfrentar todos os melhores entre os médios. Eu acho que eu consegui isso e penso que Israel é um dos caras que eu ainda não enfrentei”, afirmou Weidman.

Com apenas uma vitória em suas últimas seis lutas, Chris entende que é necessário voltar a vencer para retornar ao radar da organização. O atleta, no entanto, acredita que seu histórico dentro da companhia possa facilitar sua ascensão rumo ao topo, haja vista que o norte-americano tem em seu currículo, além de batalhas contra grandes nomes do MMA, duas vitórias sobre Anderson Silva.

“Obviamente, eu venho de derrotas. Não quero falar muito, mas acho que ele (Adesanya) seria um bom adversário para mim. Eu fui nocauteado por Yoel Romero, ele não. Mas eu engajei muito mais. Em suas últimas lutas, se comparar minha luta contra Kelvin Gastelum, eu o dominei e depois finalizei. Eu derrotei Anderson Silva duas vezes e ele (Israel) fez uma luta equilibrada contra o ‘Spider’”, justificou.

Weidman, por fim, tratou de explicar sua lógica ao considerar que possa fazer frente a um dos maiores nomes do UFC na atualidade. Para o norte-americano, sua experiência na luta agarrada poderia ser sua arma secreta.

“Sou um cara que poderia derrubá-lo e controlá-lo. Sou muito perigoso com minhas finalizações e ainda poderia nocauteá-lo. Eu adoraria ter uma chance agora, mas estou longe, pelo menos ao que eu vejo. Eu tenho muito trabalho a fazer, mas esse é o objetivo”, finalizou.

Com 19 lutas como profissional no MMA, Chris ostentou o título dos médios entre 2013 e 2015. O atleta realizou três defesas de cinturão até perdê-lo no confronto contra Luke Rockhold, no UFC 194.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments