Ricardo Carcacinha aposta em finalização contra Lerone Murphy nesta quarta-feira

Invicto desde que subiu para os penas, brasileiro fala sobre desafio na ‘Ilha da Luta’, passado nos galos e projeta futuro de sucesso no UFC

Escalado para enfrentar Lerone Murphy nesta quarta-feira (15), no segundo evento na ‘Ilha da Luta’ do UFC, em Abu Dhabi, Ricardo Ramos, o  ‘Carcacinha’, será um dos dois representantes tupiniquins no evento e espera uma nova apresentação de gala na divisão dos penas (até 65,7kg.). Em entrevista exclusiva ao canal no YouTube do SUPER LUTAS, o paulista falou sobre a expectativa para o confronto.

Veja Também

Vídeo: Com direito a tequila em voo, Masvidal celebra participação no UFC 251 com equipe
Ultimate remarca luta entre Pedro Munhoz e Frankie Edgar para o UFC 252, em agosto
José Aldo se pronuncia após derrota para Petr Yan: ‘Vou voltar mais forte do que já sou’

Vindo de grande vitória sobre Luiz Eduardo Garagorri, Carcacinha já provou ter um jiu-jitsu de excelência. O brasileiro, então, quer fazer valer a fama e espera uma vitória fazendo o uso da ‘arte suave’ no espetáculo do meio da semana.

“(Imagino) uma finalização de ‘armbar’ (chave de braço). Vou pegar o braço dele (risos)”, afirmou o brasileiro.

Análise do rival

Embora confiante em um novo resultado positivo pelo Ultimate, Ricardo não menospreza as habilidades de Lerone, que estreou no UFC no empate com Zubaira Tukhugov, em setembro do ano passado. Focado no triunfo, o brasileiro mostrou que estudou o jogo do oponente, que nunca perdeu na carreira como profissional nas artes marciais mistas.

“Ele é um cara que tem um boxe bem ‘alinhadinho’. É um jogo de MMA completo. É um cara que tem um volume de golpes muito bom, mas eu estou bem mais focado em um jogo imprevisível. Eu tenho me preparado para um oponente imprevisível, pelo fato de ter essa dificuldade em fechar lutas. Estava preparado para qualquer tipo de oponente, focando mais na minha preparação. Se você está preparado para tudo, nada te surpreende”, contou.

Futuro nos penas ou volta aos galos?

Nesta quarta-feira, Ricardo fará sua segunda apresentação entre os penas. Antes, o combatente representava o país na categoria dos galos (até 61,2kg.). Após um triunfo imponente sobre Garagorri, em novembro do ano passado, o paulista confirmou que se sentiu bem e estabeleceu bases para uma trajetória vitoriosa no novo grupo.

“Para mim, (a mudança de categoria) foi a melhor coisa que eu fiz na minha carreira. Foi um divisor de águas. Eu realmente precisava subir de categoria e acho que a saúde que eu ganhei subindo de peso vai me dar uma longevidade muito maior dentro do octógono. Eu tive alguns problemas de saúde antes, batendo 61kg. e acho que não troco nunca mais”, explicou Ricardo.

Luta sem público

Apesar de o UFC ter providenciado uma estrutura impressionante para que os atletas pudessem se preparar e atuarem de forma segura no período da pandemia, a presença do público nos espetáculos é algo que ainda não é possível. Carcacinha, no entanto, disse que a falta de torcida não deve influenciar na sua performance contra Murphy, que fará sua segunda apresentação no Ultimate.

“Estamos treinando eu e mais três pessoas. Acho que vai ser mais ou menos a mesma coisa. Vai ter chão, vai ter grade, vão ter coisas que eu já conheço e acho que não vai ser muito diferente de alguma experiência que eu já tenha passado. Estou focado na vitória. Vai faltar a torcida, mas eu não levo a torcida na cabeça, mas no coração”, disse o brasileiro.

Projeção no UFC

O confronto contra Murphy marcará a 17ª apresentação de Carcacinha, de 24 anos, desde sua estreia no MMA. Com 14 vitórias e apenas duas derrotas, o atleta acredita que está pronto para ocupar lugar de destaque na categoria que hoje é dominada por Alexander Volkanovski.

“A cada luta, a cada experiência que tenho dentro do octógono eu venho mostrando uma evolução. Acho que isso é a maior prova de que estou pronto para ser o campeão”, finalizou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments