Borrachinha descarta clima de paz após enfrentar Adesanya: ‘Não vamos apertar as mãos’

Brasileiro faz previsão para luta contra campeão dos médios, que deve acontecer em 19 de setembro, e aposta em fim brutal para rival

P. Borrachinha (foto) e I. Adesanya devem se enfrentar em 19 de setembro. Foto: Reprodução/Instagram

É pessoal. Desafiante ao cinturão dos médios (até 83,9kg.) do Ultimate, Paulo Borrachinha descartou qualquer possibilidade de paz após seu aguardado encontro com Israel Adesanya na disputa do título que deve acontecer em 19 de setembro. Em entrevista ao ‘MMA Junkie’, o brasileiro apimentou a rivalidade e se mostrou focado em conseguir uma vitória histórica sobre o nigeriano.

Veja Também

Dana crava vencedor entre Miocic e Cormier como melhor peso pesado na história do UFC
Dana sugere ‘Whittaker x Cannonier’ para definir quem enfrenta Borrachinha ou Adesanya pelo cinturão
Após show na Ilha da Luta, Massaranduba analisa futuro nos meio-médios: ‘Vou estar mais vivo’

“Depois que eu o nocautear, não vamos apertar as mãos. Vai ser selvagem. Acho que vai acontecer no segundo round, porque ele vai correr muito no primeiro”, afirmou o mineiro.

Grande crítico da luta que representou a primeira defesa de cinturão de Adesanya, em março, quando trocou forças contra Yoel Romero, Paulo garantiu que seu confronto será diferente. Conhecido pela agressividade com que conduz seus confrontos, o brasileiro não tem dúvidas de como a luta irá transcorrer.

“Eu não vou ficar esperando por ele. Eu sei que ele pode correr muito e é isso o que ele quer fazer, o que ele faz normalmente. Não esperarei como Romero fez. Vou caçá-lo dentro do octógono, encurtar a distância e soltar meus ataques nos seu corpo e sua cara. Não vou rápido como (Robert) Whittaker e nem tão devagar quanto Romero. Vai ser ponderado. Sou muito diferente dos dois caras e posso pressioná-lo em o tempo todo por 25 minutos”, cravou Borrachinha.

Embora o Ultimate ainda não tenha oficializado, Paulo e Israel estão cotados para protagonizarem o UFC 253. O brasileiro, junto a seu empresário, Wallid Ismail, já chegou a confirmar o acerto entre as partes, mas o presidente da organização, Dana White, afirmou recentemente que ainda há pendencias a serem resolvidas antes da confirmação.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments