Após show na Ilha da Luta, Massaranduba analisa futuro nos meio-médios: ‘Vou estar mais vivo’

Uma das estrelas brasileiras no card do último final de semana, Francisco fala de vitória sobre Jai Herbert, falha no corte de peso e possíveis adversários para a nova etapa na carreira

Um dos grandes xodós brasileiros no Ultimate, Francisco Massaranduba tem motivos de sobra para comemorar a boa fase. Após um verdadeiro show contra Jai Herbert no UFC Ilha da Luta 3, realizado no último sábado (25), em Abu Dhabi, o veterano provou que segue em condições de atuar em alto nível contra atletas da elite do MMA. Em entrevista exclusiva ao canal no YouTube do SUPER LUTAS, o atleta comentou sobre sua vitória, traçou planos para o futuro e comentou sobre a mudança para a divisão dos meio-médios (até 77kg.).

Veja Também

Novo rival de Mike Tyson, Roy Jones Jr. volta a desafiar Anderson Silva para luta de boxe
Ferguson abre as portas para luta contra McGregor ou Poirier e sonha com cinturão
IMAGEM FORTE: Lutador do UFC tem rosto esmagado e quase se aposenta por um erro médico

No último final de semana, Massaranduba chegou à marca de 22 apresentações desde sua estreia no UFC. Conhecido pela agressividade e constância com que conduz seus confrontos, o combatente teve o compromisso de encarar um oponente mais jovem e que fazia sua estreia na organização.

Focado na vitória, o brasileiro teve uma luta dura, mas conseguiu um nocaute devastador no terceiro assalto, chegando ao terceiro resultado positivo em sequência.

Preparação para a luta

Ciente de que enfrentaria um adversário perigoso, conhecido pelo poder de nocaute, Francisco revelou que seus treinamentos foram muito focados na luta em pé. O resultado pôde ser observado ao fim do confronto, quando o brasileiro sacramentou a segunda derrota na carreira do inglês.

“Nós treinamos bastante muay thai, bastante boxe, mas todo nosso planejamento da luta era pra eu nocautear. O primeiro round foi bom para nós, no segundo, levei um atraso e, no terceiro, deu certo. Meus corners (treinadores) falaram para eu puxar mais no boxe e eu virei minha mão esquerda em cima do jab dele e deu certo”, contou o lutador.

Polêmica com Herb Dean

A vitória de Massaranduba acabou gerando uma polêmica nos bastidores e acabou se tornando pública. Após o confronto, o comentarista e ex-lutador, Dan Hardy, bateu-boca e criticou a postura do árbitro central, Herb Dean, alegando que o condutor do combate demorou a parar a peleja mesmo com Herbert visivelmente nocauteado. O brasileiro, então, comentou sobre a atitude de Dean.

“Ele não errou, não. Acho que quem errou fui eu, de não ter chegado e acabado a luta de uma vez, mas eu vi o cara apagado e não precisava”, afirmou.

Falha no corte de peso

Apesar do resultado positivo, Francisco surpreendeu na pesagem oficial, realizada no dia anterior, ao falhar em seu compromisso com a balança. O brasileiro ficou mais de 2kg. acima do limite dos leves (até 70,3kg.) permitido e acabou punido com a perda de uma porcentagem na bolsa. O combatente, então, explicou o que aconteceu durante o processo.

“Tenho certeza que foi a comida. Nós chegamos duas semanas antes. Eu mesmo faço minha comida dentro do quarto. A comida deles (nos Emirados Árabes) tem muito tempero, muito sal, totalmente diferente da nossa comida. Não tinha micro-ondas, mercado para a gente comprar nada. Então, eu tinha que comer a comida deles e acho que segurou meu peso no final”, explicou.

Migração para os meio-médios

Depois de mais um triunfo pelo UFC, em entrevista, Massaranduba surpreendeu ao afirmar que pretende fazer sua próxima luta entre os meio-médios. O lutador explicou o motivo de tomar tal decisão e espera seguir a trajetória vitoriosa na empresa.

“Eu já estava pensando (em subir de categoria) e minha equipe também. Estou com 41 anos e, subir para 77kg., eu vou lutar mais uns cinco anos, ganhar uma ‘vidazinha’ nas artes marciais”, cravou.

Possíveis adversários

Além de deixar clara a intenção de subir de divisão, Massaranduba fez questão de listar nomes para sua estreia na nova categoria. Pensando em nomes de peso, o combatente citou três possíveis rivais que ele ficaria feliz em se testar.

“Queria o Mike Perry, porque ele é brigão, tem uma mão pesada… eu também tenho uma mão pesada e dá uma luta boa. Donald Cerrone luta de 70kg., também luta de 77kg. e eu sou fã do ‘bicho’. Sou doidinho para fazer uma luta com o ‘bicho. O outro cara, nós dois íamos dar uma briga legal, que é o Diego Sanchez”, finalizou.

Próximo de completar 42 anos, Massaranduba, hoje, soma 33 apresentações desde sua estreia como profissional nas artes marciais mistas. O combatente tem 26 vitórias e sete derrotas.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments