Mike Tyson leva luta a sério, é superior, mas fica no empate com Roy Jones Jr. na disputa de lendas do boxe

Mesmo sem vencedor oficial, ex-campeão do peso pesado mostra mais volume de golpes em confronto de oito rounds

M. Tyson (esq.) foi superior a R. Jones Jr. (dir.) na superluta em Las Vegas. Foto: Reprodução/Twitter @@BTSportBoxing

Não houve nocaute, mas, quem esperava ver Mike Tyson de volta aos ringues e esboçar um pouco da agressividade que o tornou famoso no boxe, não se decepcionou. Neste sábado (28), em Los Angeles (EUA), o ex-campeão mundial na ‘nobre arte’ voltou à ação contra o também lendário Roy Jones Jr. e não fez feio para um lutador de 54 anos. Durante oito rounds, o ‘Homem de Ferro’ mostrou muita vontade e foi superior ao rival em todos os assaltos. Como divulgado antes da luta, não houve vencedor anunciado por se tratar de um confronto de exibição e um empate foi decretado.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Conhecido como um dos melhores pugilistas de todos os tempos, Mike mostrou reflexos apurados e chegou a surpreender Jones com golpes potentes, principalmente na linha de cintura. Com o decorrer da luta, Roy deu sinais de cansaço, enquanto Tyson seguia buscando a luta franca.

A superluta deste final de semana marcou a volta dos dois ex-campeões aos ringues após anos de inatividade. Tyson não se apresentava desde 2005, enquanto Roy havia feito seu último confronto em fevereiro de 2018.

PUBLICIDADE:

Depois da luta, os atletas trocaram elogios e Mike sugeriu uma revanche. Roy sorriu e disse que iria pensar junto à sua família.

A luta

No primeiro round, Tyson tomou a iniciativa buscando encurtar a distância. Soltando jabs e diretos, o atleta tentava intimidar Jones, que atuava de guarda alta. Ao longo do tempo, Tyson lançava sua famosa combinação de direto, cruzado e gancho na linha de cintura. Jones parecia intimidado e se agarrava a Mike a cada investida do ex-campeão dos pesados.

PUBLICIDADE:

Na segunda etapa, Mike seguiu mais agressivo. Logo nos segundos iniciais, o atleta soltava combinações de socos, mas a ação parava quando Jones voltava a buscar o clinch. Por vezes, o árbitro teve que interromper o duelo para afastar os atletas. Mas Tyson permanecia buscando a trocação franca.

PUBLICIDADE:

O terceiro round, Mike continuou tomando a iniciativa. Visivelmente empolgado, Tyson tentava machucar Jones com potentes ganchos e cruzados. Jones ensaiava bons momentos, baixando a guarda e tentando induzir Tyson ao erro, mas o ‘Homem de Ferro’ seguia concentrado.

Assim como nos assaltos anteriores, Jones seguiu em desvantagem no quarto. O multicampeão dava sinais de cansaço e lançava golpes sem efeito. Tyson respondia com combinações e tentava obrigar o rival a desistir. A cada ataque de Mike, Jones buscava o clinch.

Mais cansado, Jones passou a ‘amarrar’ o confronto. Em alguns momentos da sexta etapa, o lutador baixava a guarda e tentava provocar Tyson. O ex-campeão dos pesados não se intimidava e continuava perseguindo Roy pelo ringue. Enquanto Mike queria a luta, Jones freava as intenções do adversário.

Com a vitória (virtual) assegurada, Tyson dependia apenas dele para sair moralmente com o resultado positivo. Precisando mostrar mais suas armas, Jones optou por se manter na defesa e apenas absorvia os ataques do ‘Homem de Ferro’.

No último round, Mike não diminuiu o ritmo. O atleta continuava tentando mostrar sua superioridade, enquanto Jones, exausto, apenas resistia. O confronto seguiu amarrado até o soar do gongo.

Podcast #45: Volkanovksi sem desafiante e brasileiros no 1º UFC do ano



Comentários

Deixe um comentário