VÍDEO: Marreta aponta 'leve favoritismo' de Blachowicz contra Glover e estipula prazo para retorno | SUPER LUTAS

VÍDEO: Marreta aponta ‘leve favoritismo’ de Blachowicz contra Glover e estipula prazo para retorno

Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, brasileiro analisou o encaixe técnico dos lutadores; ele também revela desejo de enfrentar o perdedor de combate entre Reyes x Prochazka


Apontado, por muitos, como um dos lutadores mais duros da categoria dos meio-pesados (até 93kg.), Thiago Marreta analisou o combate entre Jan Blachowicz e Glover Teixeira, que disputam o cinturão no UFC 266, dia 4 de setembro. Em entrevista exclusiva ao canal do SUPER LUTAS, o brasileiro diz que torce para seu compatriota, mas considera o polonês ‘levemente favorito’ para o combate.

Veja Também

Marreta conhece bem os dois lutadores. Ele nocauteou Blachowicz em fevereiro de 2019, em luta que garantiu a disputa de cinturão contra Jon Jones. Coincidentemente, depois de perder para o norte-americano na decisão dividida dos juízes, o brasileiro encarou justamente Glover, sendo finalizado com um mata-leão no terceiro round. Agora, o ex-desafiante acredita que a evolução do polonês no octógono fará a diferença na luta de título, apesar de declarar torcida ao compatriota.

“É uma luta interessante, pois os dois se parecem bastante. Gostam do boxe, se sentem à vontade na luta agarrada e são bem estáticos na movimentação. Considero um leve favoritismo do Jan (Blachowicz), já que ele está bem maduro e consciente. É um outro lutador desde que o enfrentei. Mas a grande torcida é para o Glover (Teixeira)”, opinou Marreta.

Planos para o futuro

Depois de perder para Aleksandar Rakic no UFC 259, o lutador revela que já voltou aos treinamentos e pretende retornar o mais breve possível. Segundo ele, a ideia é subir ao octógono ‘entre junho ou julho’ e se recuperar da incômoda sequência de três derrotas.

“Acabei de retornar aos treinos fortes. Conversei com meu empresário e pedi para lutar entre junho ou julho. Então, é a minha ideia. Não tem nada fechado ou qualquer conversa. Mas, se pintar alguma oportunidade, eu quero estar pronto e aceito qualquer desafio”, afirmou o brasileiro.

Questionado sobre quais competidores ele gostaria de enfrentar em seguida, Marreta – que não costuma citar o nome de lutadores, afirma que deseja enfrentar o perdedor entre Dominick Reyes e Jiri Prochazka, em combate válido pelo UFC Las Vegas 24 deste sábado (17).

“Quando a gente está vindo de derrota, não tem muito o que acontecer. Eu gostaria de enfrentar o perdedor da luta entre Dominick Reyes e Jiri Prochazka. Seria legal. Mas não sei quando eles vão querer lutar de novo. E eu não quero demorar muito para voltar. Volkan Oezdemir é uma opção também”, destacou.

Risco de demissão

Apesar de encarar a pior série sem vencer em sua carreira, Thiago Marreta fala com naturalidade sobre uma possível demissão do Ultimate, em caso de outra derrota. O brasileiro, que está na organização desde 2013, demonstra insatisfação apenas por seu atual momento e indica que outras franquias já manifestaram um interesse em sua contratação.

“Eu me cobro demais e não gosto da derrota. Mas não por medo de ser cortado. Até mesmo agora, vindo de derrotas, alguns eventos entraram em contato com meu empresário perguntando se o UFC iria me cortar. Então, sem chance de eu ficar sem trabalhar, por mais que eles me cortem. Ainda me sinto muito bem e pronto para voltar a vencer”, finalizou.

Hoje, o brasileiro ocupa a quarta posição no ranking da categoria liderada por Jan Blachowicz. Em sua carreira, ele conta com um cartel de 21 vitórias e nove derrotas.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments