Com luta no sábado, Berinja mira vitória para desafiar ex-campeão dos galos: 'Meto a porrada nesse cara' | SUPER LUTAS

Com luta no sábado, Berinja mira vitória para desafiar ex-campeão dos galos: ‘Meto a porrada nesse cara’

Adversário de Miles Johns no UFC Las Vegas 31, brasileiro falou com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre desafio, planos para top 15 e projeta luta contra ícone da divisão

A. Berinja (foto) busca a segunda vitória consecutiva pelo UFC. Foto: UFC/Divulgação

Promessa brasileira no peso galo (até 61,2kg.), Anderson Berinja tem um compromisso importante neste sábado (17), pelo UFC Las Vegas 31. Adversário de Miles Johns, o paulista mira a vitória de olho em um grande desafio na carreira. Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, o combatente falou sobre a expectativa para o duelo, sonho de chegar ao top 15 e confirmou o desejo de enfrentar um ex-campeão do grupo.

Veja Também

Neste fim de semana, Berinja tentará confirmar a boa fase na carreira depois de conquistar a primeira vitória com as luvas do Ultimate. Para isso, o brasileiro precisará superar uma promessa norte-americana que também vem de resultado positivo.

Preparação para o duelo

No sábado, Anderson fará sua primeira apresentação em 2021. O atleta, que volta quase oito meses depois de seu último compromisso, falou sobre sua preparação para o confronto.

“A preparação foi muito boa. Eu sempre treino tudo. (…) Claro, quando temos uma luta marcada, a própria cabeça já muda um pouco. A gente intensifica os rounds, os sparings. Estou 100% treinado”, contou Anderson.

Análise do adversário

Para chegar ao segundo resultado positivo no UFC, Berinja precisará passar por um adversário perigoso, que tem apenas uma derrota no MMA. O brasileiro mostrou ter conhecimento do rival e apontou qualidades de seu oponente.

“Ele é um menino duro, novo, promissor. Com certeza, vai dar muitas alegrias ao UFC, mas não vai ser sábado. Ele vai bater de frente com um cara muito duro, que quer essa vitória mais do que qualquer coisa. Não vou dar oportunidade para ele ‘jogar’ lá dentro comigo. Ele é um wrestler, foi campeão estadual, mas sabe boxear. Tem muita brecha no jogo dele. Não tem a qualidade no jiu-jitsu que eu tenho. Se ele tentar usar o wrestling para me derrubar, ele pode se dar mal, como o último oponente se deu mal. Ele sabe disso, me estudou. Arriscar um chão comigo é complicado. (…) Esse cara não vai me derrubar. Estou bem treinado e digo mais: eu vou derrubar ele”, afirmou.

Realidade do peso galo

Mesmo com um campeão questionado por parte dos fãs, o peso galo tem se tornado uma das divisões mais competitivas da organização. Observando com bons olhos a categoria, Anderson fala com empolgação sobre o momento do grupo até 61,2kg.

“Eu costumo dizer que ela (os galos do UFC) é a mais difícil – não que não tenham outras. Mas o 61kg., é muita gente. A minha categoria é muito cheia. Vou dar um exemplo, eu tenho um amigo, o Marlon Vera, antes de lutar com José Aldo, ele estava com seis vitórias seguidas, às vezes ele entrava no top 15 e às vezes não. (…) É uma categoria difícil de você chegar rápido no top 10. Você tem que trabalhar muito, bater em todo mundo. Se pegar os 20 primeiros, qualquer um ali pode ser campeão”, declarou.

Sonho do top 15

Mesmo ciente das dificuldades encontradas em uma das divisões mais tensas da companhia, Berinja sabe o que precisa fazer para chegar de vez à elite do grupo. O atleta, então, fez uma previsão sobre quando poderia chegar lá.

“Para chegar no top 15, acho que eu preciso de umas quatro, cinco vitórias consecutivas. Já venho de uma e espero conquistar mais uma no sábado. Espero esse ano lutar, pelo menos, mais uma”, disse Anderson.

De olho em ex-campeão

Disposto a seguir sua trajetória rumo ao topo dos galos, Berinja revelou que tem os planos de desafiar um ex-campeão da divisão, caso saia vitorioso no fim de semana. Empolgado, o paulista propôs um confronto contra Cody Garbrandt.

“Ouvi dizer que vai ter uma temporada nova na ‘Ilha’ (da Luta, em outubro). Seria uma data perfeito. Tenho até um oponente em mente. É o Cody Garbrandt. Sou louco para lutar com esse cara. Ele não vem em uma fase boa. (…) É ex-campeão, um cara duro. Ele não pode exigir muito, de querer lutar com os caras do top. Primeiro, ele precisa de uma vitória. Então, eu posso ser o cara que ele acha que vai conseguir essa vitória. É um nome que eu quero. Vou provocar, chamar para a porrada, perguntar o que ele vai fazer nos próximos meses. (…) Eu, analisando o jogo, meu irmão, eu meto a porrada nesse cara”, disparou.

Filho chegando, olho no ‘Bônus’

Perto de ser pai, Berinja não esconde o desejo de, além da vitória, levar para casa um dos desejados bônus entregues pelo Ultimate aos destaques de cada evento. Na busca dos sonhados US$50 mil (cerca de R$255 mil), o atleta faz coro pela conquista, mas brinca sobre chance menor devido à presença de compatriota no card principal.

“Toda luta no UFC, eu penso em bônus. Na última, não sei por que não ganhei. (…) Minha hora vai chegar. Eu só estou preocupado com uma coisa relacionada a bônus, porque creio que vou descolar uma finalização. O problema é que tem um cara no card que chama Rodolfo Vieira (risos). (…) Pode ser que ‘role’ um nocaute também. Tem joelhada aérea, upper. Sei que uma hora a gente vai se embolar e eu vou pegar. Espero que olhem pelo Berinja. Preciso comprar uma casa, vem o segundo filho aí. Se vier, vai ser maravilhoso”, encerrou.

Histórico dos atletas

Aos 35 anos, Anderson Berinja se encaminha para sua 30ª luta como profissional no MMA. Hoje, o paulista soma 21 vitórias e oito derrotas na modalidade.

No esporte desde 2014, Miles Johns chega ao 13º desafio, menos da metade do número do brasileiro. O norte-americano, de 27, tem 11 triunfos e um revés.

A queda do ‘Império Pitbull’ no Bellator e a prévia para o UFC 265

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments