Thiago Moisés mostra confiança para duelo contra Islam Makhachev no UFC Vegas 31: 'Vou machucar ele' | SUPER LUTAS

Thiago Moisés mostra confiança para duelo contra Islam Makhachev no UFC Vegas 31: ‘Vou machucar ele’

Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, o lutador brasileiro disse estar preparado para o confronto e contou que planeja um nocaute sobre a promessa russa

Confiante e preparado. Thiago Moisés não está preocupado com o ‘hype’ em cima de Islam Makhachev, seu adversário na luta principal do UFC Las Vegas 31 do próximo sábado (10). Em entrevista exclusiva ao canal do SUPER LUTAS no YouTube, o atleta tupiniquim contou que planeja nocautear o russo e declarou estar pronto para vencer em qualquer área do jogo. Confira esse e outros trechos do bate-papo.

Veja Também

Cenário ideal pro combate?

“Eu me imagino começando a luta pressionando bastante, soltando os golpes, trabalhando bem o meu boxe e os chutes. Eu imagino o Makhachev andando para trás e quando tiver a oportunidade tentando usar as quedas e eu vou defender bem, trabalhar bem o boxe, machucar ele na trocação e acabar essa luta com um nocaute. Com um chute ou com um direto.

Incomodado com o ‘hype’ de Makhachev?

“Para mim, isso aí é indiferente. Eu procura estar evoluindo no dia-dia como atleta, como lutador e como pessoa. Eu vou chegar lá, dar o meu melhor, fazer o meu trabalho independente se é o Islam (Makhachev), se é o Michael Johnson ou o (Alexander) Hernandez. O mais importante é eu chegar lá e dar o meu melhor”.

Thiago Moisés já é uma realidade?

“Ah, com certeza. Sou o número 14 do mundo, estou entre os melhores do UFC. Aos poucos, a gente vem afirmando o nosso nome, deixando de ser promessa e firmando o nosso nome como realidade. Estou muito feliz com essa oportunidade de fazer uma luta principal. Esse é um passo gigantesco na minha carreira e eu estou muito feliz e muito motivado”.

Lutador completo?

“Eu acredito que esse é o meu diferencial, é um dos meus pontos fortes. Eu sou um lutador completo. Me sinto preparado tanto na parte em pé, como na parte de chão. Acho que essa é a minha vantagem. Se eu luto com um cara como Michael Johnson que é perigoso na trocação, que já nocauteou o Dustin Poirier, já ganhou do Tony Ferguson, então não tem porque eu ficar me arriscando. Eu fui lá, botei a minha estratégia em prática e consegui finalizar com uma chave de perna no segundo round. Se eu lutar contra um striker, eu vou levar a luta pro chão, se eu lutar com um wrestler, vou manter a luta em pé.

Sem ‘vida fácil’ no Ultimate

“Eu enxergo isso (dos casamentos difíceis) que eles vêem um grande potencial em mim. Na minha visão, o UFC quer fazer lutas equilibradas, que vão trazer show para o público. Então se eles estão me colocando contra esses grandes atletas, para mim, é um elogio. Eu agradeço ao UFC por essa oportunidade de estar lutando contra esses grandes nomes, porque isso só vai me deixando mais maduro e me tornando um lutador cada vez melhor”.

Principal cuidado com o adversário?

‘Acredito que as quedas. Acho que ele vai tentar derrubar, ficar amarrando a luta. É o que ele sempre faz nas lutas dele e eu acho que é o que ele vai tentar fazer contra mim. Eu também sou muito perigoso com as costas no chão, então, eu acredito que ele vai estar em perigo o tempo todo se ele conseguir me derrubar.

Mudança na estratégia após ‘promoção’ para a luta principal

“Na verdade, a estratégia continua a mesma. A gente só adaptou algumas coisas no treinamento, tivemos que aumentar os rounds no ‘sparring‘ mas foi uma mudança que pegou nós dois de surpresa. Nós estávamos treinando para lutar três rounds e agora vão ser cinco. Eu já tivesse essa experiência três vezes quando lutava na LFA então acredito que eu tenha essa vantagem. Mas é isso aí, só aumentou mais 10 minutos.

Mais pressão por estar liderando o card?

“Quando me falaram que eu estaria na luta principal, eu fiquei muito feliz, muito eufórico, já deu aquela adrenalina a mais. Agora, eu já vejo essa luta como um combate qualquer. Para mim, agora, não está fazendo diferença se é principal ou se é a primeira luta do evento. Vou chegar lá, vou dar o meu melhor para colocar a minha estratégia em jogo e focar no que eu tenho que fazer no dia 17 dentro do octógono.

Sobre Thiago Moisés

Atual número 14 do ranking dos leves (até 70,3kg), Thiago Moisés vem embalado por três triunfos seguidos. Sua última derrota foi para Damir Ismagulov na decisão unânime dos juízes em agosto de 2019. O combatente possui um histórico de 15 vitórias e quatro reveses.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments