Chandler recusa vacina contra Covid-19 e coloca em risco luta contra Gaethje no UFC 268; entenda o caso | SUPER LUTAS

Chandler recusa vacina contra Covid-19 e coloca em risco luta contra Gaethje no UFC 268; entenda o caso

Decisão do ex-Bellator esbarra nas políticas preventivas de Nova York, local do card, que exige a comprovação do imunizante para eventos em massa

M. Chandler em coletiva pelo UFC. Foto: Reprodução/YouTube

Destaque no peso leve (até 70,3kg.) do Ultimate, Michael Chandler pode colocar em risco sua presença na luta contra Justin Gaethje, programada para o UFC 268, em Nova York. Lenda do Bellator, o lutador declarou publicamente que não tomará a vacina contra a Covid-19, o que fere a política do estado, que exige comprovante de imunização para eventos em massa. O confronto está previsto para acontecer em 6 de novembro.

Veja Também

“Eu acabei de ver que Nova York (estado) está tem políticas severas sobre a cidade de Nova York. Basicamente, eles estão exigindo que você seja vacinado e exiba um comprovante para comparecer em restaurantes, academias e locais de entretenimento. Obviamente, um evento do UFC, mandado no Madison Square Garden, é considerado um evento fechado. Eu não estarei vacinado até a data. Não sei quantos lutadores, se eu estaria lutando em 6 de novembro”, afirmou o combatente, em transmissão ao vivo no Instagram.

Mesmo recusando o imunizante, criado para reduzir o índice de mortalidade causado pela pandemia do coronavírus, Chandler afirmou não ser antivacina. O peso leve, então, tentou explicar a decisão de não aderir à campanha.

“Não é que eu seja antivacina, que eu não acredite na vacina. Eu apenas não vou tomar até que esteja 100% aprovado pela FDA (Food and Drug Administration). Temos centenas de casos clínicos, assim como as vacinas que meu filho tomou, sarampo e catapora, e todas que estão por aí por 100 anos e foram comprovadas (a eficácia). (…) A chance de o UFC conseguir mandar um evento no Madison Square Garden apenas com pessoas vacinadas realmente reduz a capacidade de vendagem. Acho que coloca em dúvida se o evento realmente acontecerá lá. O Ultimate é brilhante para promover suas lutas. Como eu disse, não sou antivacina. Acho que elas são efetivas. Acredito que é escolha de cada um. Eu não estarei vacinado até 6 de novembro, então, não estarei apto a performar no Madison Square Garden”, encerrou.

Com o sonho de se credenciar para uma nova disputa de cinturão nos leves, Chandler é, até o momento, uma das atrações principais do UFC 268. O embate contra Gaethje pode colocar o vencedor em ótima condição para um duelo pelo título, que, hoje, pertence a Charles do Bronx, carrasco de Michael em maio.

Podcast #30: Aquecimento para o UFC 266 com duas disputas de cinturão e migué de Romero no Bellator

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments