GSP revela ter passado por depressão e se arrepende de não ter parado antes de enfrentar Hendricks | SUPER LUTAS

GSP revela ter passado por depressão e se arrepende de não ter parado antes de enfrentar Hendricks

O ex-campeão dos médios e dos meio-médios afirmou que deveria ter pendurado as luvas após derrotar Nick Diaz, em 2013

Hendricks (dir) foi derrotado por St. Pierre (esq) em 2013. (Foto: Reprodução / Facebook / UFC)

Considerado por muitos um dos maiores atletas a pisar no octógono do UFC, o ex-campeão dos meio-médios (até 77 kg) e dos médios (até 83,9 kg) Georges St-Pierre abriu o jogo sobre os motivos que o levaram a pendurar as luvas precocemente, em 2013.

Veja Também

Durante participação no programa Legend2Legend, do site norte-americano MMAJunkie, GSP contou a Burt Watson que passou por um episódio de depressão na epoca, mas teve vergonha de admitir com medo do que as pessoas pensariam a seu respeito.

“Eu acho que eu precisava de férias, estava em um tipo de depressão no momento. Eu tinha vergonha de admitir porque eu tinha a vida dos sonhos. Eu tenho muito dinheiro, sou saudável e estava com vergonha de admitir que estava depressivo porque não sabia o que as pessoas pensariam a meu respeito. Elas falariam: ‘do que ele está reclamando? ele é campeão do mundo e é rico, está reclamando de que?’. Então eu estava com vergonha, mas estava em depressão e ainda por cima lutando contra o UFC por conta de substâncias de aumento de performance. Eu tinha muitos problemas pessoais e precisava de um tempo”, revelou GSP.

Georges St-Pierre anunciou a aposentadoria do MMA em novembro de 2013, após derrotar Johny Hendricks em uma decisão dividida considerada bastante polêmica. O canadense chegou a retornar ao octógono quatro anos depois, derrotando Michael Bisping e conquistando o título dos médios em 2017, mas não voltou a lutar desde então.

Hoje, aos 40 anos, GSP acredita que deveria ter se aposentado antes de enfrentar Hendricks.

“Eu acho que eu deveria ter me aposentado após a luta contra Nick Diaz (em março de 2013). Eu deveria ter parado. Talvez, se eu tivesse feito isso, poderia até ter voltado mais cedo, mas não fiz porque eu sentia que sempre precisava enfrentar o próximo cara, sempre tinha um próximo cara. Assim eu percebi que no momento que você acaba uma luta, existem outras e outras. O MMA não é promovido pelo que aconteceu no passado, é pelo que vem pela frente. O Vendas, vendas, vendas. Precisamos vender o próximo produto, construir quem é o próximo grande nome que pode derrotar o campeão”, desabafou.

Ao longo de 15 anos atuando como profissional no MMA, Georges St-Pierre acumulou um cartel invejável de 26 vitórias e apenas duas derrotas.

 Qual o futuro de Anderson Silva e Vitor Belfort no Boxe?