AO VIVO

Assista o Bellator 284 AO VIVO e em TEMPO REAL

Amanda Nunes insinua que está próxima da aposentadoria, mas pede por ‘novas rivais’ no Ultimate

A lutadora brasileira, dona de dois cinturões, revelou que pretende 'diminuir o ritmo' de suas lutas e sugeriu enfrentar atletas de outras organizações

A. Nunes é dona de dois cinturões no UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Dona dos cinturões dos galos (até 61,2kg) e dos penas (até 65,7kg) e maior lutadora da história do MMA feminino, Amanda Nunes já vislumbra a proximidade da sua aposentadoria. Em entrevista à ‘TV Globo’, a brasileira revelou que pretende ‘diminuir o ritmo’ das suas lutas e pediu para enfrentar ‘novas rivais’ no UFC.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Por já estar há um bom tempo como campeã, segurando dois cinturões e defendendo os dois também, um feito que ninguém nunca conseguiu fazer, chega num limite que a gente já pensa em começar não a se aposentar, mas ir devagarzinho, não ter pressa para as próximas lutas, com uma luta por ano ou duas. Estou chegando aos 34 anos também, o corpo vai sentindo um pouco mais e a gente não treina tanto quanto quando tinha 20 anos, toda hora é uma lesão. Mas, enquanto eu puder, vou continuar”, revelou a brasileira.

Campeã dos galos há 5 anos, a ‘Leoa’ citou Juliana Peña como uma como um exemplo de ‘novidade’ para a categoria, pediu por uma rodagem maior de oponentes e até sugeriu enfrentar adversárias de outras organizações.

PUBLICIDADE:

“Acho que nesse momento a gente tem que deixar o “mixing”. As meninas que estão brigando há um tempo, que não são top 10, que não são top 5, têm que ter oportunidade também. Não escolho nenhuma oponente e é claro que se tiver que lutar com Holly (Holm), com Germaine (de Randamie), seja com quem for, vou lutar, mas acho que o público quer ver algo novo. Tem que dar uma mexida na categoria mesmo, botar as meninas para se enfrentarem, e trazerem essas meninas que estão lá no fundo, para a gente trazer algo novo para o público, não ficar essa coisa estagnada como está. Estou sempre pronta para dar o que o púbico quer, que é um nocaute ou finalização, fazer aquela luta bem movimentada. Acho que o UFC realmente tem que dar uma sacudida na divisão, até buscar novos talentos e talvez trazer mais meninas de outros shows. Isso que a gente está esperando”, finalizou Amanda.

Pronta para a sua sexta defesa do cinturão dos galos, Amanda irá medir forças contra Juliana Peña no UFC 269 do próximo sábado (11). A brasileira, que segue imbatível desde 2014, possui um cartel no MMA de 21 triunfos e quatro reveses.

Podcast #74: O Adeus trágico a Leandro Lo +Derrotas brasileiras no UFC Vegas 59