Julianna Peña pode bater Amanda Nunes? Confira momentos em que campeões caíram diante de zebras no UFC

Responsável por tentar destronar a lendária Amanda Nunes, venezuelana tem nomes como referência para fazer história

A. Silva, R. Barão e R. Rousey foram alguns campeões surpreendidos por zebras no UFC. Foto: Montagem SUPER LUTAS

Destaque no peso galo (até 61,2kg.), Julianna Peña tanto pediu, que conseguiu a oportunidade de desafiar a lendária Amanda Nunes pelo cinturão dos galos (até 61,2kg.) do Ultimate. Neste sábado (11), a venezuelana terá o maior desafio de sua carreira e precisa de uma grande performance para anular aquela que, para muitos, é a melhor lutadora de todos os tempos.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Muito azarão nas casas de apostas, a atleta, no entanto, não tem um compromisso inédito. Com desafio que, para a maioria é praticamente impossível, nossa equipe selecionou momentos em que grandes campeões caíram diante de zebras dentro do Ultimate.

Entre os destronados estão nomes como Anderson Silva e Renan Barão: brasileiros que fizeram história com as luvas do UFC.

PUBLICIDADE:

1) Weidman choca o mundo e destrona ‘Spider’

C. Weidman choca o mundo ao nocautear A. Silva. Foto: Reprodução/Instagram

O ano era 2013 e Anderson Silva reinava absoluto como a principal estrela do Ultimate. Técnico e contundente, o brasileiro liderava o peso médio do Ultimate até que encontrou pela frente um invicto e pouco conhecido, Chris Weidman.

PUBLICIDADE:

O palco para a luta foi montado em Las Vegas, casa de lutas históricas nos esportes de combate. O brasileiro era favorito nas casas de apostas, mas, grande parte dos fãs não esperavam o desfecho trágico para os fãs tupiniquins.

PUBLICIDADE:

O campeão fazia seu jogo, tentava induzir Weidman ao erro. Anderson, no entanto, não contava com um cruzado de esquerda certeiro, que entrou limpo no queixo e o levou a nocaute imediato. Com a vitória, Chris interrompeu uma sequência de 16 vitórias consecutivas do paulista, recorde que não foi batido até os dias de hoje.

2) Renan Barão cai para Dillashaw

T. Dillashaw (dir.) em ação na primeira luta contra R. Barão (esq.). Foto: Reprodução/YouTube UFC

Quem acompanha o MMA há pouco tempo pode não se lembrar do reinado de Renan Barão dentro do Ultimate. O brasileiro já foi nome temido dentro do peso galo (até 61,2kg.) e chegou a ser chamado por Dana White como o ‘melhor peso por peso’ do mundo.

O atleta foi campeão interino entre 2012 e 2013, até ser promovido a linear no ano seguinte. Tudo ia bem no reinado do potiguar, no entanto, o encontro com TJ Dillashaw mudaria a trajetória do tupiniquim dentro do UFC.

O embate com o norte-americano aconteceu em maio de 2014, show que marcaria a carreira de ambos. Conhecido por seu estilo agressivo e versatilidade, Barão era amplamente favorito nas casas de apostas, mas não conseguiu repetir as boas atuações diante de um TJ ‘faminto’. No embate, Renan acabou nocauteado no quinto round, perdendo a ‘coroa’ para o adversário.

3) St-Pierre brutalmente surrado

G. St-Pierre é duramente castigado por M. Serra. Foto: Reprodução/YouTube

Considerado por muitos como o melhor lutador de todos os tempos, Georges St-Pierre é outro que fez alguns ganharem e perderem dinheiro nas casas de apostas. Em 2007, o canadense havia acabado de conquistar o título dos meio-médios (até 77kg.) e tinha tudo para dar início a uma trajetória impecável no grupo.

Para conquistar o trono, Georges despachou quatro adversários de forma dominante até chegar ao então campeão, Matt Hughes, para quem tinha perdido em 2004, pelo cinturão vago à época. St-Pierre finalizou o líder e assumiu o trono.

O susto viria logo em sua primeira defesa de cinturão, contra o azarão histórico Matt Serra. A fatídica luta aconteceu no UFC 69 e, no confronto, o campeão nem de longe repetiu as grandes atuações que o levaram ao topo do MMA – muito pelo contrário. O que se viu foi um ‘rei’ duramente castigado e nocauteado ainda no primeiro round.

Diferente dos casos anteriores, St-Pierre conseguiu uma vingança em grande estilo. Contra o mesmo Serra, em 2008, o canadense devolveu o nocaute e retomou o título linear.

4) Rockhold faz de Bisping campeão

M. Bisping conquistou o cinturão dos médios em 2016. Foto: Reprodução/Facebook UFC

Provocador e bom em promover seus confrontos, Michael Bisping viveu desacreditado por grande parte de sua trajetória no Ultimate. Mesmo com ostentando o título do TUF (The Ultimate Fighter) 3, conquistado em 2006, o inglês era contestado por parte dos fãs.

A ‘virada de chave’, no entanto, veio em 2016. Depois de altos e baixos na organização, o atleta conseguiu se credenciar para uma disputa de cinturão contra Luke Rockhold, que, à época, vivia grande fase, e já havia derrotado o inglês em 2014.

Azarão nas casas de apostas, Michael sabia que tinha condições de superar o norte-americano – e o fez. De coadjuvante no UFC 199, Bisping chegou ao topo do mundo de forma histórica e contundente. O lutador precisou de menos de um round para chocar o mundo e aplicar um dos nocautes mais marcantes na história da companhia.

5) Rousey cai diante do mundo

H. Holm destronou R. Rousey em 2015. Foto: Reprodução/YouTube

Responsável direta pelo crescimento do MMA feminino, Ronda Rousey ainda recebe os créditos pelos seus serviços à modalidade. Implacável com suas adversárias, a norte-americana chegou ao Ultimate invicta e com a fama de passar por quase todas as rivais no primeiro round.

Ao todo, Ronda realizou seis apresentações até viver seu calvário, em 2015. O reinado de Rousey acabou de forma trágica para quem presenciou o histórico UFC 193.

A responsável por estragar a festa foi a ex-campeã mundial de boxe, Holly Holm. Conhecida como ‘Filha do Pastor’, a azarão fez com que Ronda provasse do próprio veneno e, a exemplo do que fazia a então campeã, dominou do início ao fim. O desfecho foi com um nocaute brutal, com um direto seguido de um chute na cabeça, que apagou a lenda do MMA feminino.

Podcast #46: Aquecimento para o UFC 270 com duas disputas de cinturão + Amanda Nunes fora da ATT e Jake Paul rico