Na luta contra a ‘Demência Pugilística’, lendário Maguila atualiza fãs sobre estado de saúde

Aos 63 anos, ícone da ‘nobre arte’ desmente boatos sobre crise financeira e narra rotina de cuidados em clínica no interior de São Paulo

A. Maguila é um dos maiores nomes na história do boxe brasileiro. Foto: Reprodução/Instagram

Um dos maiores nomes na história do boxe brasileiro, José Adilson dos Santos, o lendário Maguila, vive uma rotina de cuidados, mas está bem. Estas são informações do próprio pugilista. Aos 63 anos e na luta diária contra a Encefalopatia Traumática Crônica (ETC), também conhecida como ‘Demência Pugilística’, o folclórico atleta atualizou os fãs sobre seu estado de saúde, em entrevista ao ‘ge’, e desmentiu boatos sobre crise financeira.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Quero mandar um abraço para todo o povo brasileiro que me viu lutar. Estou bem e fiquem tranquilos. Só não posso mais lutar, mas estou bem. Essa doença que nem sei falar o nome, mas é difícil. É para o povo ficar tranquilo que estou bem”, disse Adilson, acompanhado da esposa, Irani Pinheiro.

Dono de um cartel vitorioso na ‘nobre arte’, Maguila ostenta uma trajetória marcante no boxe, com 77 vitórias em 85 lutas disputas ao longo de 17 anos de carreira. Dentre todas as suas batalhas, o brasileiro se orgulha de um confronto em especial: a revanche contra o argentino Walter Daniel Falconi, em 1986, quando superou o ‘hermano’ por nocaute no sétimo round.

PUBLICIDADE:

O triunfo sobre Falconi, pelo cinturão sul-americano dos pesos pesados, não foi o maior feito na carreira da lenda. Em seu cartel como profissional, o lutador também coleciona confrontos contra os consagrados Evander Holyfield (1989) e George Foreman (1990). Mesmo sendo derrotado nas duas oportunidades, os registros enchem de orgulho os fãs do veterano.

Hoje, Maguila é paciente do Centro Terapêutico Anjos de Deus, na cidade de Itú (SP), onde vive há cinco anos. Aos 63 anos, o atleta vive uma rotina de cuidados para lidar com a Encefalopatia Traumática Crônica, doença neurodegenerativa e sem cura, consequência dos impactos sofridos nos tempos de lutador.

PUBLICIDADE:

O lutador, então, narrou um pouco sobre os cuidados e o que faz no seu dia a dia. Assistir lutas antigas está entre os hobbies do ex-pugilista.

PUBLICIDADE:

“Eu sou muito bem tratado. Aqui, é só comer, dormir e não fazer nada”, disse o veterano. Perguntado se ainda se lembra do boxe, o brasileiro não demorou para responder. “Lembro. Tenho até as minhas fitas que eu assisto. Eu gosto mais da luta do Falconi, a revanche”, afirmou. Maguila, então, seguiu narrando a rotina. “Vou na piscina, entro na piscina, dou umas braçadas. Aí, volto para o quarto. Aqui, meu divertimento é a piscina”, contou.

Por fim, Adilson, junto à esposa, tratou de desmentir boatos de que estivesse vivendo uma crise financeira. O lutador garantiu que está, de fato, bem e voltou a tranquilizar os fãs.

“É tudo mentira. O Maguilão está bem. Quem fala de mim está com inveja, porque estou bem até demais. Sou bem tratado, tratado igual um bebê”, encerrou.

Xodó dos fãs de boxe no Brasil, Maguila vive sob observação 24 horas por dia, segundo a esposa Irani. A intenção é dar à lenda a maior qualidade de vida possível para encarar de frente a ‘Demência Pugilística’, que não tem cura.

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano