Após segunda vitória consecutiva, Wellington Turman comemora ‘melhor fase da carreira’

Depois de finalizar Misha Cirkuno no UFC Vegas 49, o brasileiro enalteceu os companheiros de academia e mirou a conquista do cinturão 'em dois ou três anos'

W. Turman finalizou M. Cirkunov no UFC Vegas 49 (Foto: Instagram/UFC)

Empolgado após sua segunda vitória consecutiva no Ultimate, o brasileiro Wellington Turman não escondeu a alegria com o bom momento que vive. Em entrevista ao ‘Combate’ após o UFC Las Vegas 49, que aconteceu no último sábado (26), o peso médio (até 83,9kg) tupiniquim disse viver a melhor fase da sua carreira, creditou os seus triunfos à mudança de academia e projetou a conquista do cinturão em ‘dois ou três anos’.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Estou muito feliz. Eu cheguei na academia, em Connecticut (EUA), na pior fase da minha carreira e agora estou na melhor fase da minha carreira, com duas vitórias consecutivas. E isso é só o começo. A gente trabalha muito duro, eu me esforço bastante. Eu sou jovem, estou treinando com os melhores, com o Fernely (Feliz Jr), com Glover, (Alex) Poatan, o Plínio (Cruz), então não tem jeito, agora é só para cima”, disse Turman.

Mesmo embalado por dois triunfos, o brasileiro reconhece que precisa evoluir em alguns aspectos do seu jogo, mas projetou que, com bastante treinamento, chegará em dois ou três anos à conquista do cinturão.

PUBLICIDADE:

“Por enquanto, eu quero ficar tranquilo, eu quero voltar pra academia. Eu sei que é legal fazer esse trash talk, mas eu quero evoluir, quero treinar mais, tenho muito caminho pela frente. Ainda posso treinar bastante para daqui a dois ou três anos estar pegando o cinturão igual ao Glover”, finalizou o peso médio.

Após um início irregular no Ultimate, com três derrotas em quatro lutas, Turman se reabilitou na empresa com dois triunfos sobre Sam Alvey e Misha Cirkunov, respectivamente. O atleta tupiniquim possui um cartel de 18 triunfos e cinco reveses no MMA profissional.

PUBLICIDADE:

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano