Bethe Correia descarta retorno ao MMA, mas deixa portas abertas pra boxe com ou sem luvas

Ex-desafiante ao cinturão do UFC, a 'Pitbull' encerrou a carreira nas artes marciais mistas em 2021

B. Correia pendurou as luvas de MMA em 2021 (Foto: Reprodução/Instagram)

Ex-desafiante ao cinturão peso galo (até 61,2 kg) do UFC, Bethe Correia pendurou as luvas de MMA em 2021, mas continua disposta a competir em outras modalidades de artes marciais.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Durante participação no “Trocação Franca”, podcast em língua portuguesa do site norte-americano “MMA Fighting”, a brasileira afirmou que, por mais que a ficha não tenha caído completamente, se sente feliz com a decisão de ter encerrado a carreira no MMA.

“Acho que a ficha ainda não caiu. Ainda é doido. Ainda acho que em algum momento vou receber uma ligação para marcar uma luta (risos). Eu estava me sentindo fisicamente bem, mas acho que era mais o mental. Chega uma hora em que você não aguenta mais. Acho que 90% dos atletas que param de lutar MMA fazem isso por conta da pressão psicológica. Nós sempre achamos que dá pra fazer, que nossos corpos são condicionados a lutar, mas é uma tortura psicológica, não é mais divertido. Quando chega a esse ponto, o MMA se torna perigoso. Você pode sofrer uma lesão irreversível”, disse Bethe.

PUBLICIDADE:

Mesmo com portas fechadas para um retorno ao MMA, Bethe Correia garante que ainda pode voltar a competir nas artes marciais. A “Pitbull” revelou que recebeu propostas para lutar boxe, mas não tem pressa para tomar uma decisão.

“Eu quero competir, mas não no MMA. Recebi muitas propostas de boxe, mas vamos com calma. Acabei de anunciar minha aposentadoria do MMA. Quem sabe, talvez eu volte a competir em outro lugar, mas no MMA eu parei para sempre”, afirmou a brasileira.

PUBLICIDADE:

Além do boxe tradicional, Bethe Correia vê com bons olhos a possibilidade de se aventurar no boxe sem luvas.

PUBLICIDADE:

“Não tenho medo do boxe sem luvas porque com as luvas do UFC eu sempre escolhia as menores. Não acho que mude muito. Vejo algumas garotas saindo com as mãos machucadas porque não tem nada protegendo, mas também gostaria de experimentar o boxe tradicional. Gostaria dessa aventura. Quem sabe, talvez eu me divirta nos dois. A melhor proposta vence”, finalizou.

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano