Ex-campeã dos galos, Holly Holm revela frustração com sequência de lesões e comenta sobre possível aposentadoria

Algoz da lenda Ronda Rousey, a 'Filha do Pastor' revelou como fez para se manter tranquila durante o momento mais complicado da sua carreira

H. Holm (foto) não luta no UFC desde outubro de 2020 Foto: Reprodução/Instagram

Sem lutar profissionalmente há pouco mais de um ano, a ex-campeão dos galos (até 61,2kg) Holly Holm falou sobre a frustração sentida devido a longa sequência de lesões. Em entrevista ao MMA Fighting, a ‘Filha do Pastor’ revelou como fez para se manter tranquila diante do momento complicado que viveu e não escondeu a decepção por não conseguir se manter saudável.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“É como uma avalanche, uma lesão atrás da outra. É um daqueles momentos em que você tem que sentar e dizer: ‘Ok, este é o lugar onde minha jornada já passou’ e você aproveita ao máximo e segue em frente a partir dali. Não há nada que eu possa realmente fazer sobre isso. Tive que fazer uma cirurgia. Era um pedaço de fragmento de osso flutuando no meu corpo. Eles tiveram que limpar algumas coisas, mas eu tive que fazer uma cirurgia. Estamos de pé e avançando um dia de cada vez”, disse Holm.

A algoz de Ronda Rousey não escondeu a frustração com a sua longa inatividade e revelou incômodo com os rumores sobre sua possível aposentadoria.

PUBLICIDADE:

“Estou definitivamente super frustrada. Especialmente quando as pessoas ficam me perguntando se estou aposentada. Mas entendo que pensem isso, nunca mais me viram lutar. Eu me sinto ansiosa, porque eu quero ir e não posso. Você sente que quer ir lutar e não consegue”, finalizou Holly.

A última luta de Holm foi em outubro de 2020, contra a mexicana Irene Aldana. Responsável por destronar a lenda Ronda Rousey em 2015, a ‘Filha do Pastor’ vem de duas vitórias consecutivas e possui um retrospecto de 33 triunfos, dois reveses e três empates no MMA profissional.

PUBLICIDADE:

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano