Michael Bisping acredita que Chimaev voltará mais forte após ‘boa experiência’ com Durinho no UFC 273

O ex-campeão dos médios afirmou também que crê em vitória do sueco em provável duelo contra Colby Covington

278106507_3080089665563572_7688575833298783120_n

K, Chimaev derrotou G. Durinho no UFC 273 (Foto: Instagram/UFC)

No último sábado (9), no UFC 273, Khamzat Chimaev derrotou Gilbert Durinho em uma luta memorável, considerada por Dana White como uma das melhores já vistas na organização. Apesar de manter a invencibilidade na carreira, o russo naturalizado sueco teve algumas fragilidades, antes desconhecidas, expostas pelo brasileiro ao longo dos 15 minutos do duelo. Para Michael Bisping, ex-campeão dos médios (até 83,9 kg) do Ultimate, isso pode servir para que o “Lobo” volte ainda mais forte em sua próxima exibição.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Em seu canal oficial no Youtube, Michael Bisping elogiou o duelo entre Chimaev e Durinho e afirmou que o “sufoco” vivido pelo sueco para sair vencedor pode ajudá-lo a se desenvolver e evoluir como lutador de MMA.

“Foi absolutamente fantástico. Acho que não tem ninguém que não tenha gostado daquela luta e acho que para Khamzat (Chimaev) foi uma grande luta para seu desenvolvimento e evolução como lutador. Khamzat vai aprender e crescer com aquilo, porque ele chegou para a luta com excesso de confiança. Não estou dizendo que ele não levou a sério, ou foi complacente no treinamento, mas acho que ele entrou esperando atropelar Gilbert Burns (…), mas Gilbert Burns foi lá para lutar”, analisou Bisping.

PUBLICIDADE:

Michael Bisping opinou que, caso optasse por uma abordagem um pouco mais estratégica, Khamzat Chimaev teria conseguido uma vitória mais tranquila sobre Gilbert Durinho.

“Khamzat vai aprender que nem sempre ele vai entrar lá e dominar as pessoas como ele pensa que vai. Ele achou que iria atropelar e não tinha um plano de jogo claro. Khamzat é muito maior, muito mais comprido, tem braços mais compridos, alcance maior. Ele poderia ter feito uma luta mais dura para Gilbert se tivesse um pouco de estratégia, mas ele não tinha. Ele só andou para frente, ficou no alcance, descartou a vantagem de envergadura e soltou golpes. Em uma luta dessas, qualquer um pode vencer. Gilbert Burns é extremamente poderoso, então essa não é a ideia mais inteligente. Acho que ele vai aprender com isso e voltar ainda melhor”, disse o britânico.

PUBLICIDADE:

Com a vitória sobre Gilbert Durinho, segundo colocado no ranking dos meio-médios, Khamzat Chimaev tem o caminho aberto para enfrentar Colby Covington, desafiante número 1 da divisão. Na opinião de Bisping, o “Lobo” entraria como favorito para o duelo, que está nos planos do UFC.

PUBLICIDADE:

“Eu provavelmente tendo a apostar em Khamzat, o que pode soar louco, mas acho que o wrestling de Khamzat anularia o wrestling de Colby. Se você tira o wrestling do jogo, vamos para a trocação. Khamzat tem mais potência. Colby tem mais volume. Acho que Colby teria vantagem no gás, no condicionamento. Na experiência também. Mas wrestling e potência estão com Khamzat. Vamos ver”, finalizou.

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano