Mulher brasileira em primeiro lugar: UFC e Bellator têm lutadoras tupiniquins como protagonistas no fim de semana

Juliana Velasquez, Cris Cyborg, Amanda Lemos e Jéssica Bate-Estaca são protagonistas dos eventos deste final de semana

J. Velasquez, C. Cyborg, A. Lemos e J. Bate-Estaca são protagonistas neste final de semana (Foto: Montagem/SUPER LUTAS)

Há quase 50 anos, em 1975, Benito di Paula eternizava a frase “Mulher brasileira em primeiro lugar”, com sua canção “Mulher Brasileira”. A música do cantor friburguense serve perfeitamente para ilustrar o final de semana de MMA promovido pelo Bellator e o UFC, com três eventos capitaneados por quatro lutadoras brasileiras, duas delas defendendo cinturões.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Nos próximos dois dias, as protagonistas são elas: Juliana Velasquez, Cris Cyborg, Amanda Lemos e Jéssica Bate-estaca são as responsáveis pelas lutas principais do Bellator 278, na sexta-feira (22), Bellator 279 e UFC Las Vegas 52, no sábado (23).

Juliana Velasquez defende cinturão e invencibilidade no Bellator 278

PUBLICIDADE:

O primeiro evento do final de semana tem como grande protagonista Juliana Velasquez. Na luta principal do Bellator 278, a lutadora carioca enfrenta a veterana Liz Carmouche para defender, além do cinturão peso mosca (até 56,7 kg) da organização, a invencibilidade na carreira.

Faixa-preta de judô, Ju Velasquez possui 12 lutas e 12 vitórias em seu cartel no MMA profissional. A atleta de 35 anos está no Bellator desde 2017 e já venceu sete lutas no cage circular da organização. Após conquistar o cinturão com vitória sobre Ilima-Lei Macfarlane, em dezembro de 2020, a carioca defendeu o título pela primeira vez contra Denise Kielholtz, em julho do ano passado.

PUBLICIDADE:

Cris Cyborg busca estender domínio em revanche contra Arlene Blencowe no Bellator 279

C. Cyborg é a atual campeã peso pena do Bellator (Foto: Reprodução/Instagram)

PUBLICIDADE:

Para Juliana Velasquez começar sua trajetória no MMA, foi necessário que alguém antes dela pavimentasse o caminho. Esse alguém atende pelo nome de Cristiane Justino, a Cyborg, que defende o título peso pena (até 65,7 kg) no sábado (23), na luta principal do Bellator 279, em revanche contra Arlene Blencowe.

Pioneira do esporte, Cyborg é profissional desde 2005 e impressiona pelo domínio e longevidade. A curitibana chegou ao Bellator em 2020, já aos 34 anos e se encontra invicta na organização, com quatro vitórias, todas elas por interrupção. Logo em sua estreia, Cyborg sagrou-se campeã do peso pena e defendeu o título com sucesso em três ocasiões.

A primeira defesa de Cyborg foi justamente contra Arlene Blencowe, oponente da brasileira neste sábado. Em outubro de 2020, a australiana não foi páreo para a campeã, que finalizou a luta com um mata-leão no segundo assalto.

Amanda Lemos e Jéssica Bate-Estaca fazem duelo decisivo no UFC Las Vegas 52

J. Bate-Estaca (esq.) enfrenta A. Lemos (dir.) no dia 23 de abril. Foto: Montagem SUPER LUTAS

O protagonismo das mulheres neste final de semana não se resume ao cage circular do Bellator. Na luta principal do UFC Las Vegas 52, também no sábado (23), Amanda Lemos e Jéssica Bate-Estaca entram no octógono para um duelo importante na divisão peso palha (até 52,1 kg).

Décima colocada no ranking da divisão, Amanda Lemos chega embalada por uma ótima sequência de vitórias. Após perder a estreia na organização, em julho de 2017, a paraense venceu as cinco oponentes com quem dividiu o octógono nos últimos três anos e vem se consolidando como uma potencial candidata a disputar o cinturão.

Cinturão este que já pertenceu a sua adversária: Jéssica Andrade, a Bate-Estaca. Primeira colocada na divisão peso mosca (até 56,7 kg), a paranaense volta à divisão da qual foi campeã em 2019 para tentar, quem sabe, uma nova caminhada rumo à retomada do título.

SUPER LUTAS irá realizar a cobertura AO VIVO e em TEMPO REAL do Bellator 278, do Bellator 279 e do UFC Las Vegas 52.

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano