Após show em retorno ao peso palha, Bate-Estaca mira nova disputa de cinturão no início de 2023

Estrela do UFC Las Vegas 52, atleta acredita que precisará de novo compromisso antes da chance de retomar trono perdido em 2019

J. Andrade (centro) foi campeã do UFC em 2019. Foto: Facebook @ufc

Depois do retorno triunfal à divisão dos palhas (até 52,1kg.) no UFC Las Vegas 52, Jéssica Andrade, a Bate-Estaca, está de olho em seu antigo cinturão. Com a vitória brilhante diante de Amanda Lemos neste sábado (23), a paranaense acredita que está próxima de uma disputa de cinturão. Em coletiva após o evento, a atleta estipulou um prazo para retomar a condição de desafiante.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Sem dúvidas, depois do resultado da luta entre Weili (Zhang) e Joanna (Jedrzejczyk), o UFC poderia me dar a oportunidade de lutar contra uma das duas. Aí, sim, disputar o cinturão, até porque já vai ter saído o resultado da luta Rose (Namajunas) contra a Carla Esparza (no UFC 274). Acredito que no começo do ano que vem seja uma ótima data para disputar o cinturão”, afirmou a brasileira.

Líder da divisão em 2019, Bate-Estaca não esconde a ansiedade para, novamente, se ver inserida em um confronto pelo título. A atleta acabou perdendo o trono no confronto contra Weili Zhang, em sua primeira defesa de título.

PUBLICIDADE:

“Estou pronta para a oportunidade de lutar pelo cinturão, para me tornar campeã novamente”, encerrou.

Neste fim de semana, Bate-Estaca voltou a fazer história na organização. Primeira mulher a se apresentar em três categorias de peso diferentes, a lutadora protagonizou o primeiro triângulo de mão, em pé, dentro da empresa.

PUBLICIDADE:

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano