Kayla Harrison vence Kaitlin Young de forma rápida na PFL 6 2022 e segue firme em busca do Tri do torneio das leves

A norte-americana nocauteou a sua rival ainda no primeiro round e vai motivada para as semifinais do torneio das leves

K. Harrison derrotou mais uma adversária na PFL (Foto: Instagram/@pflmma)

Não deu nem para cansar. Kayla Harrison atropelou mais uma adversária e continua firme e forte na busca do tricampeonato do torneio das leves. Na luta principal da PFL 6, a norte-americana derrotou a sua compatriota Kaitlin Young no primeiro round e se mantém como ‘a mulher a ser batida’ na categoria. O show aconteceu na Overtime Arena, em Atlanta, Georgia (EUA).

PUBLICIDADE:

Com a vitória rápida, Kayla segue firme em busca do tricampeonato do torneio das leves. A ex-judoca continua invicta no MMA profissional com 14 triunfos seguidas. Chamada de última hora para enfrentar Harrison, Young agora possui mais resultados negativos do que positivos na carreira. O seu cartel agora passa a ser de 12 triunfos e 13 reveses.

Veja Também

A luta

Após um início de muito estudo, Kayla acertou um chute ‘solitário’ na sua rival. A judoca, sem nenhuma cerimônia, usou de força bruta para entrar em queda e ficar por cima na meia guarda da sua rival. Harrison tentou conseguir a montade, mas Young ficou colada a grade para travar a transição da sua oponente. Sem perder tempo, Kayla foi para as costas e aplicou uma ‘chuva’ de socos em sua adversária, que não conseguia se defender. Vendo o prejuízo que Young levava, o árbitro decidiu interromper o confronto.

PUBLICIDADE:

Sadiboy Sy vence um pragmático Rory MacDonald na decisão

R. MacDonald e S. Sy (Foto: Instagram/@pflmma)

Com uma atuação que, nem de longe, lembrou os tempos de desafiante do UFC e campeão meio-médio (até 77,1kg), Rory MacDonald teve uma atuação pragmática, e foi derrotado pelo sueco Sadibou Sy na decisão unânime dos juízes. O canadense tentou usar a luta agarrada para travar o combate contra o seu rival e, mesmo com a derrota,  garantiu como lutador número 1 nas semifinais do torneio. O público presente na Overtime Arena, em Atlanta (EUA) vaiou ao fim do combate.

Sadibou Sy conquistou sua segunda vitória na temporada 2022 da organização e se garantiu como segundo melhor lutador nas semifinais do torneio. O sueco agora possui um cartel de 11 triunfos, seis reveses e dois empates como profissional de MMA.

PUBLICIDADE:

Por outro lado, Rory sofre sua terceira derrota nas últimas quatro lutas e vive momento complicado na carreira. Aos 32 anos, o lutador canadense marca 23 triunfos, nove reveses e um empate no esporte.

Magomed Magomedkerimov vence Dilano Taylor por nocaute no segundo round

M. Magomedkerimov (Foto: Instagram/@pflmma)

PUBLICIDADE:

O russo Magomed Magomedkerimov se despediu da temporada 2022 dos meio-médios (até 77,1kg) com uma bela vitória sobre o Dilano Taylor. O pupilo da American Top Team acertou um lindo cruzado no seu rival no segundo round e após uma intensa blitz acompanhada de uma ‘chuva de golpes’, o árbitro interrompeu o combate a favor do atleta europeu.

Com o triunfo, Magomed se recupera da derrota sofrida em sua última luta, contra Ray Cooper III e agora possui um cartel de 30 triunfos e seis reveses na carreira. Pupilo de Tyrone Spong, lenda do kickboxing, o norte-americano Dilano Taylor não conseguiu emplacar a sua segunda vitória seguida na empresa e agora marca nove resultados positivos e dois negativos no esporte.

Ray Cooper III ‘atropela’ Brett Cooper em menos de um minuto e garante vaga nas semifinais do torneio dos meio-médios

R. Cooper III x Brett Cooper (Foto: Instagram/@pflmma)

Explosivo. Essa é a melhor palavra para encontrar a atuação de Ray Cooper III diante do seu ‘xará’ Brett Cooper. Logo nos primeiros segundos de luta, Ray pressionou e acertou uma boa combinação de golpes que fez o seu rival balançar. Após perceber que Brett sentiu e passou apenas a se defender, o ex-campeão partiu para uma intensa blitz de socos, cotoveladas e joelhadas, até a interrupção do árbitro central. Vitória categórica de Cooper III.

Com a vitória, Ray carimba o seu passaporte para as semifinais do torneio dos meio-médios (até 77,1kg) e ganha confiança para reconquistar o título que um dia já foi seu. Cooper III agora possui um retrospecto de 24 triunfos, oito reveses e um empate como profissional de artes marciais mistas.

Outro veterano do esporte, Brett volta a sentir o gosto amargo de uma derrota depois de duas vitórias consecutivas. Aos 35 anos, o ‘Fudoshin’ passa a ostentar o vistoso cartel de 28 resultados positivos e 16 negativos.

Podcast #73: MAIOR DE TODAS? Amanda Nunes volta a reinar no UFC