Vítima de Poatan no kickboxing, atleta do UFC elogia brasileiro: ‘mãos mais pesadas que enfrentei’

Invicto em seis lutas no Ultimate, Dustin Jacoby foi nocauteado por Poatan no Glory, em 2014

A. Poatan após vitória no UFC 276. Foto: Reprodução/Instagram

O poder destrutivo da mão esquerda de Alex Poatan vem ganhando cada vez mais destaque, principalmente após o nocaute devastador sobre Sean Strickland no UFC 276, no início de julho, que alçou o brasileiro ao quinto lugar no ranking dos médios (até 83,9 kg) e a uma muito provável disputa de cinturão contra o campeão Israel Adesanya, a quem já derrotou duas vezes nos tempos de kickboxing.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Invicto desde que chegou ao UFC e considerado um dos nomes mais promissores dos meio-pesados (até 93 kg), Dustin Jacoby já teve a infelicidade de sentir o poder da mão esquerda de Poatan quando os dois se enfrentaram em 2014, pelo Glory. Durante participação no podcast “MMA Hour”, o norte-americano elogiou a potência da mão do brasileiro e opinou sobre a possível luta contra Adesanya.

“É um duelo interessante. Eu enfrentei (Alex) Pereira e foi a única vez em que fui nocauteado. O cara nocauteia todo mundo com o cruzado de esquerda. Posso dizer isso sem vergonha, porque muitos caras foram vítimas dele. Ele é um cara perigoso. Eu sei que Pereira venceu duas contra Izzy (Adesanya), mas de novo, isso foi no kickboxing e uma das lutas poderia ter ido para qualquer um dos dois. Izzo é diferente no octógono de MMA. Ele tem uma ótima defesa, luta de forma inteligente, tem um grande QI de luta. Sou muito fã dos dois, mas nunca apostaria contra Pereira. O cara pode literalmente tocar em qualquer um e nocautear em uma fração de segundo, então Izzy precisa tomar cuidado”, analisou Jacoby.

PUBLICIDADE:

Com mais de 40 lutas profissionais na carreira, entre o kickboxing e o MMA, Dustin Jacoby garantiu que não há dúvidas quanto o dono das mãos mais pesadas que enfrentou em sua trajetória.

“(Pereira) tem a mão mais pesada, sem dúvidas. Não tem nem comparação. Eu tenho um ótimo queixo, mas ele toca as pessoas de maneira diferente. Eu pude tomar muitos socos de vários caras sólidos. Da Un Jung me acertou com uma mão direita limpa, mas eu continuei como se nada tivesse acontecido. Nunca me balançaram no UFC e já enfrentei alguns caras grandes. Me desculpa, mas Pereira bate diferente, cara. Ele tem o poder”, finalizou.

Podcast #73: MAIOR DE TODAS? Amanda Nunes volta a reinar no UFC