Único brasileiro no UFC Londres, Cláudio Hannibal promete finalizar Nicolas Dalby

O atleta tupiniquim mostrou confiança em quebrar sua sequência ruim de derrotas e comemorou o fato de poder lutar na cidade onde mora há 15 anos

C. Hannibal vem de duas derrotas no UFC. (Foto: Reprodução/Instagram)

Buscando se recuperar do momento delicado que vive no Ultimate, o brasileiro Cláudio Hannibal mostrou confiança em sair vitorioso no UFC Londres. Em entrevista ao ‘Combate’, o atleta tupiniquim destrinchou as qualidades e defeitos do seu rival, mas, prometeu finalizá-lo no próximo sábado (23). O duelo será válido pela divisão dos meio-médios (até 77,1kg).

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Vejo que ele é um ‘brawler’, vem pra porrada, se desgasta muito, ataca muito, anda muito para a frente. É tudo o que quero. Lutar com estes caras que dão show. É um cara duríssimo, está na segunda passagem no UFC, mas tenho certeza de que vou botar para baixo e finalizar”, prometeu Hannibal.

Morando em Londres há cerca de 15 anos, o brasileiro não escondeu a felicidade por poder lutar na sua ‘segunda casa’.

PUBLICIDADE:

“Com certeza lutar em Londres é sempre muito especial porque tenho família e amigos aqui, é a cidade que moro há 15 anos, é o quintal da minha casa. Londres é um lugar que me acolheu. As melhores coisas da minha vida aconteceram em Londres. Foi onde tive a primeira academia, peguei a faixa-preta, entrei no UFC e estou indo pra oitava luta. Foi onde fiz a minha estreia no UFC também. É uma honra lutar neste estádio porque é onde as maiores bandas mundiais tocaram: Rolling Stones, Led Zeppelin… É o lugar dos maiores concertos de Londres. Fico feliz do UFC sempre me colocar nos cards em Londres. Estou muito focado. Fiquei cinco meses na Flórida só treinando. Trabalhei muito e não vejo a hora de chegar lá e terminar o trabalho pra mostrar o que foi feito”, disse o brasileiro.

Contratado pelo UFC em 2014, Cláudio venceu suas primeiras cinco lutas na organização, porém, a pouca frequência no octógono o afastou de lutar por uma chance entre a elite da divisão dos meio-médios. O brasileiro vem de duas derrotas consecutivas e precisa vencer Nicolas Dalby para não ter o seu emprego ameaçado na organização. O atleta tupiniquim possui um cartel de 14 triunfos e três reveses no esporte.

Podcast #73: MAIOR DE TODAS? Amanda Nunes volta a reinar no UFC