Henderson disputa cinturão no Bellator: relembre atletas que deixaram o UFC e conquistaram título em concorrentes

Antiga estrela do UFC, veterano de 39 anos tenta ‘última cartada’ nesta sexta-feira, quando enfrenta Usman Nurmagomedov

Ben Henderson é ex-campeão do UFC no peso leve. Foto: Reprodução/Instagram

Veterano do MMA, Ben Henderson terá sua segunda oportunidade de ampliar seu legado no esporte. Nesta sexta-feira (10), o antigo campeão do UFC disputará o cinturão dos leves (até 70,3kg.) no Bellator 292 contra o dono do trono, Usman Nurmagomedov. No show, o ‘Menino Lobo’ terá a segunda oportunidade de assumir o título desde sua estreia na companhia.

Caso conquiste o ‘ouro’ no Bellator 292, Ben Henderson fará história. Se bater o primo invicto de Khabib, o norte-americano será inserido na lista de atletas que deixaram o Ultimate para somar título em empresa concorrente.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Para refrescar a memória, a equipe do SUPER LUTAS selecionou nomes que passaram pelo UFC e tiveram sucesso em outras organizações. Confira abaixo:

Cris Cyborg

C. Cyborg é a atual campeã peso pena do Bellator (Foto: Reprodução/Instagram)

PUBLICIDADE:

Considerada por muitos como a melhor lutadora de MMA em todos os tempos, Cris Cyborg carrega uma marca emblemática em sua carreira. Conhecida por sua agressividade nos cages, a curitibana representou o Ultimate entre 2016 e 2019, chegando a vestir o cinturão dos penas (até 65,7kg.).

Após atritos com o presidente do Ultimate, Dana White, e falhas na tentativa de renovação de contrato, a brasileira migrou para o Bellator, estreando em 2020, em conquista do cinturão, também dos penas. Desde então, Cyborg acumula seis defesas de título, e segue sua hegemonia na organização.

PUBLICIDADE:

Além de títulos no UFC e Bellator, Cris detém um recorde único no MMA feminino. A lutadora é a única a conquistar o ‘Grand Slam’ no esporte, somando cinturões no Strikeforce e Invicta.

Larissa Pacheco

Larissa Pacheco é campeã peso leve da PFL. Foto: Reprodução/Instagram

Atual campeã da PFL no peso leve (até 70,3kg.), Larissa Pacheco é outra combatente que teve passagem pelo Ultimate. Pela empresa presidida por Dana White, a brasileira teve dois compromissos, em 2014 e 2015, mas acabou superada nas duas oportunidades.

PUBLICIDADE:

Em 2019, Pacheco estreou na Professional Fighters League, e ‘bateu na trave’ por duas vezes na tentativa de conquistar o torneio daquela temporada, e na de 2021. Em 2022, no entanto, a tupiniquim chocou o mundo ao bater, na final, a, até então, ‘insuperável’ Kayla Harrison.

Antônio Cara de Sapato

Cara de Sapato se torna campeão dos meio-pesados na PFL Foto Instagram @caradesapato

Cara de Sapato posa com cinturão dos meio-pesados na PFL. Foto:/Instagram @caradesapato

Campeão no ‘The Ultimate Fighter’ (TUF) Brasil 3, Antônio Cara de Sapato foi tratado como esperança brasileira no peso médio (até 83,9kg.) do Ultimate. Afiado no jiu-jitsu, o atleta chegou ocupar posição de destaque na divisão. No entanto, entre 2019 e 2021, o lutador acabou sofrendo três derrotas seguidas e se desligou da empresa na sequência.

Fora do UFC, Cara de Sapato assinou contrato com a PFL e, em sua temporada de estreia, brilhou como referência no torneio dos meio-pesados (até 93kg.). Em quatro desafios em 2021, o atleta venceu três adversários e somou um ‘no contest’. Ao fim do campeonato, o atleta teve sua consagração, vestindo o título da categoria ao superar Marthin Hamlet.

Sergio Pettis

Pettis é azarão para defender seu cinturão no Bellator 272. Foto: Reprodução / Bellator

Irmão do icônico Anthony Pettis, Sergio Pettis foi tratado como aposta do UFC desde sua estreia na companhia. Representante do peso mosca (até 56,7kg.), o atleta, no entanto, não encontrou estabilidade no Ultimate, chegando a alternar vitórias e derrotas.

Percebendo o talento em Pettis, Scott Coker e sua equipe decidiram investir e contrataram o lutador. Na companhia, o lutador atuou como peso galo (até 61,2kg.) e, depois de duas vitórias convincentes, enfrentou Juan Archuleta pelo trono do grupo, conquistando o mesmo via decisão. Até o momento, o norte-americano soma uma defesa de cinturão.

Ryan Bader

R. Bader é campeão peso pesado do Bellator. Foto: Reprodução/Facebook bellatormma

Antigo destaque nos meio-pesados do UFC, Ryan Bader é outro nome que brilha no cage circular. Vencedor do TUF 8, o norte-americano calçou as luvas do Ultimate entre 2009 e 2016. Pela companhia, o atleta enfrentou nomes como Jon Jones, Glover Teixeira, Lyoto Machida, Quinton Jackson, Tito Ortiz, Anthony Johnson e Rashad Evans.

Depois de se desligar da empresa presidida por Dana White, Bader foi contratado como grande aposta do Bellator. Logo em sua estreia, em 2017, o atleta mediu forças contra Phil Davis, outro antigo representante do UFC. Na luta marcada pelo equilíbrio, Ryan conquistou o título da organização nos meio-pesados.

Na empresa, Bader também teve êxito ao vencer o torneio dos pesados (até 120,2kg.) 2019 e, até hoje, reina na divisão.

Rob Wilkinson

Rob Wilkinson após conquista de cinturão dos meio-pesados na PFL. Foto: Reprodução/Instagram

Atual campeão da PFL nos meio-pesados, Rob Wilkinson também já calçou as luvas do Ultimate. Hoje, no topo da divisão na concorrente, o lutador teve passagem discreta pelo UFC, somando tropeços nos dois compromissos que disputou.

Um dos algozes de Wilkinson foi Israel Adesanya. Contra o nigeriano, em 2018, o atleta acabou duramente brutalizado, sofrendo o revés que decretou sua saída da empresa.

Kyoji Horiguchi

Kyoji Horiguchi posa com cinturão do Rizin. Foto: Reprodução/Instagram

Antiga aposta do Ultimate no peso galo, o japonês Kyoji Horiguchi é tratado por muitos como um atleta injustiçado em sua trajetória no UFC. Pela organização presidida por Dana White, o peso mosca (até 56,7kg.) travou oito confrontos, sendo superado em apenas uma oportunidade, justamente na disputa de cinturão contra o lendário Demetrious Johnson, em 2015.

Após deixar o UFC, Horiguchi migrou para o Rizin, conquistando o título da empresa no peso galo, em 2017. Em 2019, o japonês debutou no Bellator e, logo na estreia, vestiu o cinturão dos galos. Por constantes lesões, o lutador acabou abrindo mão do título.

Liz Carmouche

Liz Carmouche é a atual campeã peso mosca do Bellator. Foto: Reprodução/Instagram

Veterana do MMA, Liz Carmouche faz parte da lista de vítimas de Ronda Rousey no Ultimate. Em 2013, a norte-americana estreou no UFC e, de cara, mediu forças com o ícone do MMA feminino. Na luta, a combatente acabou finalizada no primeiro round. Em 2019, já no peso mosca, a atleta buscou o cinturão do grupo, mas foi superada pela campeã da época, Valentina Shevchenko.

Depois do tropeço contra a quirguistanesa, Carmouche migrou para o Bellator, estreando com vitória na empresa em 2020. Dois anos depois, Liz disputaria o cinturão dos moscas contra a brasileira Juliana Velasquez e, enfim, somaria o título da companhia. Em revanche imediata, a norte-americana voltou a levar a melhor, finalizando a tupiniquim no segundo round.

Demetrious Johnson

Demetrious Johnson posa com cinturão do ONE. Foto: Reprodução/Instagram

Um dos melhores representantes no peso mosca de todos os tempos, Demetrious Johnson ainda detém o recorde de defesas de cinturão no UFC (11). Envolvido em uma troca com o ONE Championship, o lutador migrou para a companhia asiática e tentou repetir os feitos do passado.

No ONE, o norte-americano conquistou o título dos moscas logo em sua temporada de estreia, em 2019. O lutador acabou perdendo o trono em sua primeira defesa, em 2021, quando foi nocauteado pelo brasileiro Adriano Moraes. Na revanche imediata, em 2022 melhor para o ex-Ultimate, que devolveu o nocaute sofrido no ano anterior e reassumiu o topo da categoria.

Leia Mais sobre: , , , , , , , , , , , , , ,


Confira todos os resultados do UFC Las Vegas 92 Resultados do UFC St. Louis Resultados do UFC 301 Resultados do UFC Las Vegas 91 Resultados do UFC 300