José Aldo diz que Barão pode ter ‘menosprezado um pouco’ Dillashaw antes de derrota

Campeão dos penas também criticou postura de membros da Team Alpha Male após o UFC 173

J. Aldo (foto) encara C. Mendes em agosto. Foto: Josh Hedges/UFC

J. Aldo (foto) encara C. Mendes em agosto. Foto: Josh Hedges/UFC

Nos últimos meses, pouco antes de perder o título dos galos para T. J. Dillashaw, Renan Barão se tornou um dos atletas mais elogiados pelo presidente do Ultimate Dana White, que não cansava de repetir o quão impressionante era o currículo do brasileiro e suas atuações dentro do octógono. O enaltecimento por parte do chefe da organização pode servir como incentivo, mas também pode prejudicar a concentração do atleta. Essa é a opinião do campeão dos penas José Aldo, companheiro de Barão na Nova União, e que acredita que o potiguar pode ter menosprezado as habilidades de Dillashaw antes do UFC 173.

“O Renan estava bem preparado, claro que o cara estava bem treinado também, mas o Dillashaw o surpreendeu. O Barão podia estar melhor fisicamente, mentalmente, em tudo, mas não esperava a maneira que o Dillashaw lutou. Querendo ou não, vamos dizer que o Barão ficou mais relaxado que nas outras lutas, achou que ia chegar lá dentro como campeão, dar um soco e nocautear. Não teve pé no chão para manter a cabeça boa. Dias antes da luta, o Dana White falou que o Barão era o melhor peso por peso do mundo, nocauteava todo mundo e isso pode ter feito ele menosprezar um pouco o Dillashaw, que chegou com humildade e mostrou como as coisas funcionam, afirmou o manauara, em entrevista ao programa de rádio “Mundo da Luta”.

Se para Aldo houve humildade de Dillashaw no octógono, faltou prudência dos atletas da Team Alpha Male, equipe do novo campeão nos Estados Unidos, que publicaram algumas brincadeiras após o triunfo, como a inscrição de Barão em um seminário de muay thai ministrado pelo técnico do time Duane Ludwig. “Acho falta de respeito. Sempre vencemos eles, o Faber sempre perdeu para a gente e nunca provocamos. Sempre respeitamos os caras. Sempre tentamos ajudá-los, eles já vieram na academia, nós ajudamos, nunca teve desrespeito da nossa parte com ele. Mas tranquilo. Vamos ter paciência, que vamos nos encontrar de novo. Tenho um desafio com o Chad, e o Barão, se Deus quiser, enfrenta o Dillashaw de novo e vamos dar o troco”, garantiu.

No dia 2 de agosto, José Aldo põe em jogo o único cinturão ainda em posse de um atleta brasileiro no UFC. Na data, em Los Angeles (EUA), o manauara reencontra Chad Mendes em um confronto pelo título dos penas. O duelo é a luta principal do UFC 176. Aldo e Mendes já se enfrentaram em janeiro de 2012, com vitória do brasileiro por nocaute no primeiro assalto, após aplicar uma joelhada certeira no adversário. Tão famosa quanto o golpe que deu a Aldo a vitória foi a comemoração do campeão após o triunfo no UFC Rio 2. Na ocasião, ele deixou o octógono montado na Arena da Barra e correu para os braços do público.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments