De finalização nos bastidores a confusão generalizada: veja as brigas mais famosas no MMA

Confusão entre Jon Jones e Cormier não foi única; confira outras rixas históricas do esporte

Jones e Cormier brigaram durante evento promocional em Las Vegas. Foto: Reprodução

Jones e Cormier brigaram durante evento promocional em Las Vegas. Foto: Reprodução

Durante anos, os principais nomes ligados ao MMA trabalham intensamente para tentar afastar a imagem negativa que o esporte possuía em seus primeiros anos de existência, principalmente na década de 90. Porém, eventualmente, principalmente devido à tensão do embate físico e os ânimos exaltados, mesmo com uma série de cuidados, as coisas acabam fugindo do controle e são registradas algumas brigas – como a desavença entre Jon Jones e Daniel Cormier durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (04). O SUPER LUTAS relembra outras confusões que, mesmo que pelo aspecto negativo, ficaram marcadas na história do MMA:

Wand e Sonnen brigam no TUF Brasil 3

Abrimos nossa relação com um dos momentos mais marcantes do MMA no primeiro semestre de 2014. Já se sabia que os ânimos estariam acirrados entre os treinadores do TUF Brasil 3 Wanderlei Silva e Chael Sonnen, mas durante as gravações do reality show a dupla chegou às vias de fato nos estúdios em São Paulo. Os treinadores foram contidos pelos participantes e demais membros da comissão técnica, mas um deles, o treinador de muay thai André Dida, aproveitou para acertar Sonnen pelas costas. Pela ação, Dida foi expulso do programa pelo presidente do UFC Dana White.

Cristiano Marcello finaliza Krazy Horse

Esta talvez seja uma das brigas de bastidores mais reproduzidas e comentadas do esporte. Nos tempos do extinto PRIDE, o norte-americano Charles “Krazy Horse” Bennett se desentendeu com Wanderlei Silva e sua equipe no backstage do evento japonês. Como o Cachorro Louco se aquecia para entrar no ringue contra Ricardo Arona, coube a Cristiano Marcello o acerto de contas com o desafeto. As imagens divulgadas pela própria academia Chute Boxe mostram apenas Cristiano botando o rival “para dormir” com um triângulo, mas até hoje a versão de Krazy Horse é de que ele teria nocauteado Wand em um trecho editado.

A batalha de Nashville

Outra confusão famosa na história do MMA aconteceu em outro evento já extinto, e também adquirido pelo UFC: o Strikeforce. Após defender o cinturão dos médios, Jake Shields viu Jason Miller invadir o cage para desafiá-lo publicamente. A atitude de Miller não pegou bem com os companheiros de Shields na Cesar Gracie Fight Team, que, após a reação imediata de Nick Diaz, partiram pra cima de “Mayhem”, como é conhecido. A partir daí se instaurou uma briga generalizada transmitida ao vivo.

Chute Boxe x Hammer House, no PRIDE

Os fãs brasileiros que acompanham o MMA desde os tempos de PRIDE certamente se lembram da rivalidade histórica entre as academias brasileiras Chute Boxe, de Curitiba (PR), e Brazilian Top Team, do Rio de Janeiro (RJ). Porém, os paranaenses também tiveram nos norte-americanos da Team Hammer House oponentes marcantes, principalmente devido aos acontecimentos do PRIDE 31 – em 2006. Na ocasião, Maurício Shogun foi escalado para enfrentar o veterano Mark Coleman e acabou derrotado – após sofrer uma queda, se apoiar de mau jeito e fraturar o braço. Porém, mesmo diante da situação do rival, o norte-americano não parou de golpear, o que despertou a ira dos membros da Chute Boxe – especialmente Wanderlei Silva, a quem Coleman acusa de tê-lo atingido pelas costas diversas vezes. A confusão se arrastou e chegou a ter uma declaração pública de guerra contra entre os times feita por Wand.

Giant Silva tenta atacar Sugiura com um bastão

O brasileiro Paulo Cesar “Giant” Silva, por si só, já é uma das figuras mais sui generis que já calçaram as luvas para lutar MMA. Com 2,18 m de altura, Giant Silva fez toda sua carreira no PRIDE e se notabilizou por enfrentar outros adversários não menos peculiares. Um de seus momentos mais marcantes nos ringues japoneses, no entanto, foi a tentativa de agressão ao ex-atleta do pro-wrestling (mistura de artes cênicas e marciais) Takashi Sugiura, após um discurso de provocação do rival. Pesando quase 180 kg na época, Silva teve que ser contido por um verdadeiro batalhão e chegou a pegar um bastão para atingir o japonês.

Patrick Côté x Todd Brown, no RMMA

O canadense Patrick Côté já foi até desafiante ao cinturão dos médios do UFC, mas também viveu seus tempos de vacas magras na carreira – principalmente no intervalo entre sua primeira passagem pelo Ultimate e sua recente volta à organização. Neste ínterim, Côté voltou à sua terra-natal e participou de duas edições do modesto evento Ringside MMA (RMMA). Em sua segunda vez no torneio, fez a luta principal do evento contra Todd Brown e venceu por decisão unânime. Mas as emoções ficaram mesmo para a pesagem, quando os atletas literalmente colaram o nariz e se estranharam, com direito a tapa na cara de Patrick no rival.

Encarada entre Anderson Silva e Vitor Belfort

O último item de nossa lista não é necessariamente uma briga consumada, mas uma das encaradas mais tensas da história recente do UFC e um momento que marcou época no esporte para o Brasil. Durante a preparação para a disputa do cinturão dos médios no UFC 126, Vitor Belfort disse diversas vezes que considerava o então campeão Anderson Silva “mascarado”. Como provocação, Anderson apareceu na pesagem usando uma máscara e colou o rosto no rival durante a encarada. Para finalizar, um festival de xingamentos e palavrões, que não requerem sequer habilidade em leitura labial para serem compreendidos.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments