De finalização nos bastidores a confusão generalizada: veja as brigas mais famosas no MMA

Confusão entre Jon Jones e Cormier não foi única; confira outras rixas históricas do esporte

Jones e Cormier brigaram durante evento promocional em Las Vegas. Foto: Reprodução

Jones e Cormier brigaram durante evento promocional em Las Vegas. Foto: Reprodução

Durante anos, os principais nomes ligados ao MMA trabalham intensamente para tentar afastar a imagem negativa que o esporte possuía em seus primeiros anos de existência, principalmente na década de 90. Porém, eventualmente, principalmente devido à tensão do embate físico e os ânimos exaltados, mesmo com uma série de cuidados, as coisas acabam fugindo do controle e são registradas algumas brigas – como a desavença entre Jon Jones e Daniel Cormier durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (04). O SUPER LUTAS relembra outras confusões que, mesmo que pelo aspecto negativo, ficaram marcadas na história do MMA:

PUBLICIDADE:

Wand e Sonnen brigam no TUF Brasil 3

Abrimos nossa relação com um dos momentos mais marcantes do MMA no primeiro semestre de 2014. Já se sabia que os ânimos estariam acirrados entre os treinadores do TUF Brasil 3 Wanderlei Silva e Chael Sonnen, mas durante as gravações do reality show a dupla chegou às vias de fato nos estúdios em São Paulo. Os treinadores foram contidos pelos participantes e demais membros da comissão técnica, mas um deles, o treinador de muay thai André Dida, aproveitou para acertar Sonnen pelas costas. Pela ação, Dida foi expulso do programa pelo presidente do UFC Dana White.

PUBLICIDADE:

Cristiano Marcello finaliza Krazy Horse

PUBLICIDADE:

Esta talvez seja uma das brigas de bastidores mais reproduzidas e comentadas do esporte. Nos tempos do extinto PRIDE, o norte-americano Charles “Krazy Horse” Bennett se desentendeu com Wanderlei Silva e sua equipe no backstage do evento japonês. Como o Cachorro Louco se aquecia para entrar no ringue contra Ricardo Arona, coube a Cristiano Marcello o acerto de contas com o desafeto. As imagens divulgadas pela própria academia Chute Boxe mostram apenas Cristiano botando o rival “para dormir” com um triângulo, mas até hoje a versão de Krazy Horse é de que ele teria nocauteado Wand em um trecho editado.

PUBLICIDADE:

A batalha de Nashville

Outra confusão famosa na história do MMA aconteceu em outro evento já extinto, e também adquirido pelo UFC: o Strikeforce. Após defender o cinturão dos médios, Jake Shields viu Jason Miller invadir o cage para desafiá-lo publicamente. A atitude de Miller não pegou bem com os companheiros de Shields na Cesar Gracie Fight Team, que, após a reação imediata de Nick Diaz, partiram pra cima de “Mayhem”, como é conhecido. A partir daí se instaurou uma briga generalizada transmitida ao vivo.

Chute Boxe x Hammer House, no PRIDE

Os fãs brasileiros que acompanham o MMA desde os tempos de PRIDE certamente se lembram da rivalidade histórica entre as academias brasileiras Chute Boxe, de Curitiba (PR), e Brazilian Top Team, do Rio de Janeiro (RJ). Porém, os paranaenses também tiveram nos norte-americanos da Team Hammer House oponentes marcantes, principalmente devido aos acontecimentos do PRIDE 31 – em 2006. Na ocasião, Maurício Shogun foi escalado para enfrentar o veterano Mark Coleman e acabou derrotado – após sofrer uma queda, se apoiar de mau jeito e fraturar o braço. Porém, mesmo diante da situação do rival, o norte-americano não parou de golpear, o que despertou a ira dos membros da Chute Boxe – especialmente Wanderlei Silva, a quem Coleman acusa de tê-lo atingido pelas costas diversas vezes. A confusão se arrastou e chegou a ter uma declaração pública de guerra contra entre os times feita por Wand.

Giant Silva tenta atacar Sugiura com um bastão

O brasileiro Paulo Cesar “Giant” Silva, por si só, já é uma das figuras mais sui generis que já calçaram as luvas para lutar MMA. Com 2,18 m de altura, Giant Silva fez toda sua carreira no PRIDE e se notabilizou por enfrentar outros adversários não menos peculiares. Um de seus momentos mais marcantes nos ringues japoneses, no entanto, foi a tentativa de agressão ao ex-atleta do pro-wrestling (mistura de artes cênicas e marciais) Takashi Sugiura, após um discurso de provocação do rival. Pesando quase 180 kg na época, Silva teve que ser contido por um verdadeiro batalhão e chegou a pegar um bastão para atingir o japonês.

Patrick Côté x Todd Brown, no RMMA

O canadense Patrick Côté já foi até desafiante ao cinturão dos médios do UFC, mas também viveu seus tempos de vacas magras na carreira – principalmente no intervalo entre sua primeira passagem pelo Ultimate e sua recente volta à organização. Neste ínterim, Côté voltou à sua terra-natal e participou de duas edições do modesto evento Ringside MMA (RMMA). Em sua segunda vez no torneio, fez a luta principal do evento contra Todd Brown e venceu por decisão unânime. Mas as emoções ficaram mesmo para a pesagem, quando os atletas literalmente colaram o nariz e se estranharam, com direito a tapa na cara de Patrick no rival.

Encarada entre Anderson Silva e Vitor Belfort

O último item de nossa lista não é necessariamente uma briga consumada, mas uma das encaradas mais tensas da história recente do UFC e um momento que marcou época no esporte para o Brasil. Durante a preparação para a disputa do cinturão dos médios no UFC 126, Vitor Belfort disse diversas vezes que considerava o então campeão Anderson Silva “mascarado”. Como provocação, Anderson apareceu na pesagem usando uma máscara e colou o rosto no rival durante a encarada. Para finalizar, um festival de xingamentos e palavrões, que não requerem sequer habilidade em leitura labial para serem compreendidos.

Podcast #40: José Aldo ainda pode ser campeão no UFC?

Comentários

Deixe um comentário