Para Wanderlei Silva, exames antidoping surpresa são ‘contra a Constituição’

"Cachorro Louco" se se posicionou contrário às drogas para melhora de desempenho, mas citou exemplo de anti-inflamatórios e analgésicos

Wand (foto) anunciou sua aposentadoria dias antes da punição da NSAC. Foto: Josh Hedges/UFC

Wand (foto) está aposentado e em litígio com o Ultimate. Foto: Josh Hedges/UFC

Em maio do ano passado, Wanderlei Silva se recusou a realizar um exame antidoping surpresa e acabou banido para sempre do MMA pela Comissão Atlética de Nevada. Desde então, o “Cachorro Louco”, que anunciou sua aposentadoria do MMA profissional, vem travando uma verdadeira guerra contra o UFC, para conseguir a liberação de seu contrato com a organização, e também com o órgão regulador, a fim de reverter sua punição. Em mais um capítulo da batalha, Wand não fugiu da polêmica e se posicionou contrário aos testes sem aviso prévio, apelando inclusive para uma possível inconstitucionalidade do ato.

Veja Também

Anderson Silva pede para disputar Olimpíadas de 2016 no taekwondo
Ex-campeão do UFC dispara: ‘Ronda, cale a boca e luta contra a Cyborg’
Vídeo: José Aldo vira Scorpion e vence Conor McGregor em Mortal Kombat
TUF Brasil 4: Shogun e Anderson definem times e marcam primeira luta do programa

“Eles estão tirando nossos direitos como cidadãos. O exame precisa ser feito no dia da competição. Você precisa estar no mesmo nível de seu adversário no dia da luta. Isso vai contra a Constituição. Não existe essa lei. Eles não são atletas e não sabem pelo o que nós passamos para poder lutar e dar show”, disse Wand, em entrevista ao site norte-americano “MMA Fighting”. “Ouvi falar de algumas coisas que a Comissão fez aos lutadores. Parece que eles apareceram às 6h50 na casa de um campeão para testá-lo. Que m… é essa? É uma piada? Também ouvi dizer que eles fizeram um atleta famoso tirar toda a roupa na frente de todo mundo para testá-lo. O que é isso? Estamos sendo violados”, completou.

Wand se disse expressamente contra o uso de esteroides anabolizantes ou outras drogas para aumento de performance (as PEDs), mas disse discordar da restrição a outros medicamentos, como analgésicos ou anti-inflamatórios. “Se eu vou lutar hoje, preciso estar limpo hoje. Existem anti-inflamatórios e analgésicos que são considerados doping, mas não são. Sou contra esteroides, eles são ruins. Mas o lutador tem o direito de fazer o que quer fora do período de competição. É o direito dele. Você não pode se intrometer na vida dele e tirar seu sangue para ver o que ele anda fazendo. Sou contra qualquer tipo de droga e esteroides, mas o atleta tem o direito a uma vida privada. Ele precisa estar limpo no dia da competição. Fora desse dia, é a vida dele”, decretou.

Aos 38 anos, Wanderlei Silva possui um cartel de 35 vitórias, onze derrotas, um empate e uma luta sem resultado. Ex-campeão do extinto PRIDE, Wand não luta desde 2013, quando nocauteou Brian Stann na luta principal do UFC Japão. No Ultimate desde 2007, Wanderlei não chegou a fazer sua despedida oficial do octógono, pois o duelo contra o treinador rival no TUF Brasil 3 Chael Sonnen jamais saiu do papel. Atualmente, o “Cachorro Louco” tenta um recurso contra a decisão da Comissão Atlética de Nevada de bani-lo para sempre do MMA no estado, e consequentemente em diversas outras regiões que seguem as resoluções do principal órgão regulamentador do esporte.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments