TUF 21 estreia nos EUA com nova fórmula e rivalidade intensa entre academias

Pela primeira vez em sua história, reality show não oferecerá um contrato com o Ultimate ao vencedor, mas será focado na rixa entre American Top Team e Blackzilians

TUF 21 exalta rivalidade entre academias da Flórida. Foto: Reprodução

TUF 21 exalta rivalidade entre academias da Flórida. Foto: Reprodução

Após 20 temporadas, e dez anos de exibição contínua na TV norte-americana, o reality show The Ultimate Fighter, apontado pelo presidente Dana White como um dos marcos no crescimento do UFC, passou por uma mudança radical. Conforme já havia sido antecipado com exclusividade pelo SUPER LUTAS no ano passado, o TUF 21 estreou nos Estados Unidos na noite desta quarta-feira (22), com um episódio especial com duas horas de duração, e trouxe diversas novidades e uma das maiores rivalidades entre academias do esporte como pano de fundo.

Veja Também

Jacaré revela torcida por título de Belfort para enfrentá-lo em seguida no Brasil
Erick Silva e Rick Story fazem luta principal de evento com finais do TUF Brasil 4
Tribunal de Nevada decidirá até maio se irá reverter banimento vitalício a Wand
Anderson confirma participação em seletiva olímpica: ‘Não estou preocupado em passar vergonha’

Intitulada “TUF: ATT x Blackzilians”, a 21ª edição mostrará o duelo entre duas das principais academias da Flórida: a Blackzilians, onde hoje treinam nomes como Vitor Belfort e Anthony Johnson, e a American Top Team, fundada por dissidentes da Brazilian Top Team, e hoje casa de atletas como Gleison Tibau, Glover Teixeira e o campeão dos meio-médios do Ultimate Robbie Lawler.

Um dos pontos mais marcantes é a rivalidade quente entre as academias, principalmente entre os donos Dan Lambert (ATT) e Glenn Robinson (Blackzilians). Em diversos momentos, os desafetos precisaram ser contidos durante o primeiro capítulo, e a promessa é de muita confusão, e motivação extra para vencer a competição, ao longo da atual temporada.

Logo de cara, o presidente Dana White já chamou a atenção para a principal mudança no formato do reality: ao invés do tradicional torneio para definir quem ganhará um contrato com o UFC, o programa contará com duas etapas, nas quais as academias competirão por um prêmio em dinheiro, que chega à casa dos US$ 500 mil (aproximadamente R$ 1,5 milhão, pela cotação atual).

Na primeira fase, cada um dos oito atletas poderá lutar até três vezes, mas também poderá ficar sem atuar, dependendo da decisão do corpo técnico. Ao todo, serão 12 lutas disputadas, com as quatro primeiras valendo 25 pontos, as quatro seguintes 50 pontos e as últimas 100 pontos. Ao final desta etapa, a equipe que somar mais pontos já garante US$ 200 mil (R$ 600 mil).

A fase seguida é a grande final, marcada para o dia 12 de julho, em cidade a ser definida, no estado da Flórida (EUA). Para competir na decisão, o atleta deverá ter disputado pelo menos duas lutas na fase eliminatória. A academia vencedora deste combate, levará o troféu do TUF e US$ 300 mil (R$ 900 mil).

Reality terá seis brasileiros

Times ATT (acima) e Blackzilians (abaixo). Foto: Reprodução

Times ATT (acima) e Blackzilians (abaixo). Foto: Reprodução

Como não poderia deixar de ser, já que ambas as academias carregam o DNA brasileiro em sua origem, os atletas do Brasil são presença maciça no TUF 21. Ao todo são seis lutadores tupiniquins no elenco, fazendo do país o segundo com o maior número de representantes na atração – atrás somente dos Estados Unidos, que conta com oito.

Os brasileiros na atração são: Marcelo “Grilo” Alfaya, da ATT; e Valdir “BBmonstro” Araújo, Luiz “Buscapé Firmino, Vicente Luque, Andrews Nakahara e Felipe “Balboa” Portela, da Blackzilians. Já os oito norte-americanos são: Steve Carl, Nathan Coy, Michael Graves, Hayder Hassan, Sabah Homasi e Steve Montgomery, da ATT; e Carrington Banks e Jason Jackson, da Blackzilians. Além disso, a American Top Team tem o esloveno Uros Jurisic e a Blackzilians conta com o nigeriano Kamaru Usman.

Blackzilians sai na frente com vitória de nigeriano

A intensa disputa entre ATT e Blackzilians começou com vantagem para o time da cidade de Boca Ratton, com o triunfo do nigeriano Kamaru Usman sobre Michael Graves. O duelo também apresentou os fãs do show a outra novidade: nesta temporada, cada time escolhe seu representante para as lutas, mas o adversário só será conhecido no dia da pesagem.

Apesar do primeiro triunfo para a Blackzilians, e dos 25 pontos garantidos para a disputa dos US$ 200 mil, a atuação dos dois lutadores não impressionou o presidente Dana White, que teceu duras críticas à qualidade do combate e cobrou mais dedicação dos atletas nas próximas apresentações.

Na próxima semana, como bonificação pela vitória, a sede Blackzilians volta a ser palco da segunda luta do reality show.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments