Wanderlei usa doping de Belfort para se defender de processo do UFC

Advogados do brasileiro alegam que omissão de resultado positivo de Belfort é um indício da falta de credibilidade do UFC

Wand (foto) virou "inimigo número um" do UFC desde sua aposentadoria. Foto: Josh Hedges/UFC

Wand (foto) virou “inimigo número um” do UFC desde sua aposentadoria. Foto: Josh Hedges/UFC

Considerado uma lenda viva do MMA mundial, Wanderlei Silva ainda responde processo do UFC por difamação após acusar a principal organização de lutas do planeta de forjar resultados de seus combates. E o brasileiro citou um polêmico episódio envolvendo um compatriota para apontar a “falta de credibilidade” do Ultimate.

Veja Também

Site revela que Belfort fez luta no UFC em 2012 mesmo após apresentar exame irregular
Diretor nega que UFC tenha escondido doping de Belfort em 2012
Wanderlei Silva alerta Aldo para ‘jogo de interesses’ e aconselha: ‘Só lute se estiver 100%’

Em julho deste ano, Wanderlei fez uma postagem para lá de controversa em sua página no Facebook, afirmando que o UFC combina os resultados de seus combates e que poderia provar isso. Pouco depois, a empresa norte-americana entrou na justiça contra o brasileiro.

Os advogados de Wand recorreram e citaram um antigo caso envolvendo Vitor Belfort na defesa. Recentemente, o site norte-americano “Deadspin” revelou documentos que mostram que o “Fenômeno” lutou no UFC 152, em 2012, mesmo tendo sido reprovado em um exame antidoping semanas antes, com excesso de testosterona livre.

“As declarações de lutas armadas de Silva foram motivadas pelas agora evidências públicas de que o UFC permitia que lutadores que reprovaram em exames antidoping competissem, além de forçar lutadores a competirem quando se sentiam lesionados. Como foi recentemente divulgado no dia 21 de setembro, em 2012 o UFC sabia que Vitor Belfort tinha níveis significativamente altos de testosterona e permitiram que ele lutasse mesmo assim”, diz a defesa do brasileiro.

Aos 39 anos de idade, Wanderlei se encontra em uma espécie de “limbo”, já que ainda possui contrato com o UFC, mas não em condições de lutar. Isso porque o paranaense foi banido de forma vitalícia pela Comissão Atlética de Nevada por se recusar a fazer um exame antidoping surpresa antes da luta que faria contra Chael Sonnen. Desde então, Wand vem travando uma verdadeira guerra com o UFC.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments