Belfort desabafa após polêmica de antidoping: ‘Foi tudo aprovado’

"Fenômeno" disse que estava começando a usar TRT na época da luta contra Jones e que UFC sabia disso, pois o convidou como substituto de última hora

Vitor (foto) tem planos para 'times' no MMA. Foto: Josh Hedges/UFC

Vitor (foto) volta ao octógono contra Henderson, no UFC SP. Foto: Josh Hedges/UFC

Nos últimos meses, Vitor Belfort foi mais uma vez o centro de uma grande polêmica envolvendo o, hoje proibido, Tratamento de Reposição de Testosterona (TRT). Segundo reportagem do site norte-americano “Deadspin”, divulgada em setembro graças ao vazamento de um e-mail da cúpula do UFC, Vitor lutou contra Jon Jones em 2012 mesmo após apresentar exames antidoping irregulares antes do duelo. Quase dois meses após a publicização dos fatos, e mais de três anos depois do incidente, Belfort finalmente quebrou o silêncio e desabafou sobre a história, garantindo que todo o processo foi vistoriado e aprovado.

Veja Também

Hendo revela que pediu ao UFC por luta com Belfort
Rockhold dispara contra Belfort: ‘Trapaceia em outro nível’
‘Homem mais forte do mundo’ perde por nocaute em luta de MMA
Presidente do ‘novo Pride’ sonha com Wanderlei Silva de volta ao Japão

“Estava começando meu tratamento (com o TRT) e tinha uma aprovação do meu médico e com o UFC, então eles precisavam de alguém para aceitar a luta. Me ofereci, compartilhei todos os meus exames e um se tornou público. Acho que divulgaram algo particular, mas foi tudo aprovado”, declarou Vitor, em entrevista ao programa norte-americano “Inside MMA”. Além disso, o brasileiro também reclamou de uma suposta “perseguição” que teria sofrido pela imprensa. Algo que, segundo ele, não ocorreu com os diversos atletas dos Estados Unidos que também aderiram à reposição hormonal.

“Não vejo as pessoas falando sobre isso, mas 14 caras fizeram TRT no UFC, 12 deles eram americanos. Não vejo a imprensa falando muito sobre eles. E, claro, acho que a razão para falarem de mim é porque eu estava devastando uma geração jovem. E essa era a desculpa deles por terem perdido. TRT não te ensina a chutar cabeças, dar chutes rodados na cabeça, como nocauteei as pessoas. Quando os caras perdem suas lutas, tentam encontrar desculpas. Nunca tentei dar desculpas e nunca vou dar nenhuma para meus oponentes. Ninguém é perfeito, todos cometemos erros, mas a diferença é que as pessoas que têm objetivos na vida não dão desculpas. Ainda uso TRT, mas de uma forma diferente. Vocês querem saber o que é? Chama-se ‘True Revival Touch’ (‘Toque de renascimento verdadeiro’, em tradução livre)”, brincou Vitor.

Aos 38 anos, Vitor Belfort tem um cartel profissional de 24 vitórias e 11 derrotas. Em sua última luta, o brasileiro foi nocauteado pelo campeão dos médios Chris Weidman, em luta realizada no último mês de maio. Agora, Vitor volta ao octógono no próximo sábado (7) na luta principal do UFC Fight Night 77. O “Fenômeno” enfrentará o veterano Dan Henderson no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP).

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments