Nutricionista reprova retorno de Ronda no UFC 200 e mira luta em dezembro de 2016

Mike Dolce acredita que sua atleta não estará preparada para lutar em julho depois de perder para Holm em novembro

Luta entre Ronda (esq.) e Holm (dir.) deverá ter segundo capítulo no UFC 200. Foto: Josh Hedges/UFC

Luta entre Ronda (esq.) e Holm (dir.) deverá ter segundo capítulo no UFC 200. Foto: Josh Hedges/UFC

Mesmo que nada tenha sido anunciado oficialmente, a revanche entre Ronda Rousey e Holly Holm pelo cinturão do UFC deverá acontecer em julho de 2016, no histórico UFC 200, em Las Vegas (EUA). Tanto a organização quanto as duas atletas já se mostraram favoráveis aos planos. No entanto, há quem queira que isso não saia do papel: o nutricionista de Ronda, Mike Dolce.

Veja Também

Miesha aposta em nova vitória de Holm sobre Ronda: ‘Estará ainda mais preparada’
Ronda se diz ‘triste para car****’ com derrota e revela sequelas de nocaute
Dana White diz que revanche entre Ronda e Holm deverá rolar no UFC 200
Ronda aceita revanche com Holm para o UFC 200
‘Envergonhada’, Ronda quebra o silêncio: ‘ Se perder revanche para Holm, vou me aposentar’

Dolce afirmou que sua lutadora não estará fisicamente apta a lutar em julho de 2016 depois de sofrer um nocaute para Holm no mês passado, no UFC 193. Para ele, a data ideal seria muito mais adiante, de preferência na parte final do ano que vem.

“De jeito nenhum [a revanche deve acontecer no UFC 200]. Eu, particularmente, acho que isso não faz sentido algum para qualquer atleta que perdeu por nocaute técnico. Ela precisa de três meses no mínimo sem contato físico. E, depois, precisa de mais três meses para voltar à academia, somente fazendo contato leve. Só isso já dá seis meses, ou seja, maio de 2016. Aí depois você começa com o treinamento mais intenso. Eu gostaria de ver Ronda lutando entre o outono e inverno [dos Estados Unidos]. Talvez no card de dezembro do ano que vem. Acredito que este seja o melhor para a saúde e segurança da minha atleta”, avaliou Dolce, em entrevista ao podcast “MMA Junkie Radio”.

Após o combate, Ronda relatou que demoraria “três meses para conseguir morder uma maçã” devido às lesões que adquiriu na luta, como um corte profundo no lábio (o que requereu uma cirurgia plástica) e dentes amolecidos.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments