Antigos rivais revelam substância detectada em exame de Jones

Segundo Chael Sonnen e Rashad Evans, campeão interino dos meio-pesados teve detectadas em seu sangue substâncias bloqueadoras de estrogênio

Jones (foto) ficou de fora do UFC 200 por doping. Foto: Josh Hedges/UFC

Jones (foto) ficou de fora do UFC 200 por doping. Foto: Josh Hedges/UFC

Veja Também

Jon Jones cai em exame antidoping e está fora do UFC 200
Lenda do UFC defende doping ‘em nível seguro’
Jones pede desculpas por doping, mas alega inocência: ‘Jamais trapacearia’

Dois antigos rivais de Jon Jones revelaram quais foram as substâncias detectadas no exame antidoping positivo que tirou o campeão interino dos meio-pesados do histórico UFC 200. De acordo com Chael Sonnen e Rashad Evans, trataram-se de bloqueadores de estrogênio.

Tanto Sonnen quanto Rashad trabalharam no UFC 200, no último sábado (9), como comentaristas de emissoras norte-americanas. Evans, inclusive, citou diversas fontes da equipe de Jones, onde ele próprio já treinou no passado.

De acordo com informações disponibilizadas no site da WADA (Agência Mundial Antidopagem), bloqueadores de estrogênio são frequentemente usados por atletas após o uso de anabolizantes. A ingestão de esteroides provoca um aumento automático na produção de estrogênio, um hormônio feminino, por parte do corpo.

Desta forma, haveria efeitos colaterais indesejados, como, por exemplo, a ginecomastia (crescimento das mamas nos homens). Justamente para evitar este tipo de reação, atletas ingerem bloqueadores de estrogênio para não apresentarem queda de rendimento.

A USADA (Agência Antidopagem dos Estados Unidos), no entanto, não confirmou oficialmente qual foi a irregularidade cometida por Jones. O teste, realizado no dia 16 de junho, impediu o norte-americano de lutar no UFC 200, no último sábado (9). Jones foi substituído por Anderson Silva, que perdeu para Daniel Cormier na decisão dos juízes.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments