Treinador de Jones assume parcela de culpa em erros do lutador

Mike Winkeljohn, um dos treinadores do ex-campeão, prometeu ser mais rígido com o pupilo

Mike (dir) assumiu ter culpa em erros cometidos por Jones (centro). (Foto: Esther Lin / MMA Fighting)

Mike (dir) assumiu ter culpa em erros cometidos por Jones (centro). (Foto: Esther Lin / MMA Fighting)

O histórico de polêmicas extra-octógono de Jon Jones tem aumentado consideravelmente nos últimos anos, mas, de acordo com Mike Winkeljohn, um dos treinadores do ex-campeão dos meio-pesados junto com Greg Jackson e Brandon Gibson, o lutador não é único culpado pelos erros cometidos.

Veja Também

Comissão Atlética suspende Jon Jones por um ano por doping
Jon Jones finaliza Henderson em evento de luta agarrada
Jon Jones revela que “bebia até apagar” antes das lutas

“Tiveram muitos momentos decepcionantes de Jones no passado. E isso, de certa forma, tem responsabilidade nossa, que não o guiamos da maneira adequada. Mas, na última vez, foi apenas uma infantilidade. Ele não estava trapaceando nem nada do tipo, e não sei porque a mídia propagou isso dessa forma. Ele simplesmente não tem sido esperto o suficiente e acho que estão o crucificando em virtude de seus problemas passados”, declarou Mike, em entrevista no programa ‘The MMA Hour’ (EUA).

Winkeljohn ainda ressalta que precisará ser mais rígido com o pupilo, que, segundo ele, só poderá ser derrotado por um único ‘adversário’: ele mesmo.

“Eu penso nisso, sim. Acho que provavelmente deveria ter puxado mais a orelha dele ou esse tipo de coisa. Ele praticamente fez a própria cama, não há dúvidas sobre isso. Mas felizmente nós continuamos mantendo contato com ele, e acho que ele virou a página. Isso é basicamente o que sempre disse, ninguém pode vencer Jon Jones, apenas ele mesmo. Então isso não vai mudar, mas provavelmente serei um pouco mais duro com ele”, concluiu.

Jon Jones não luta desde abril deste ano, quando derrotou Ovince St. Preux no UFC 197 e conquistou o cinturão interino dos meio-pesados. Ele estava com luta marcada contra Daniel Cormier no UFC 200, em julho, mas foi flagrado em um exame antidoping faltando apenas três dias para o evento e foi retirado do card. Suspenso por um ano, seu retorno ao octógono está liberado a partir de julho de 2017.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments