Esparza reclama de revés para Claudinha e dispara: ‘É uma trapaceira’

Carla Esparza, ex-campeã peso palha do UFC, acusou Claudinha Gadelha de passar óleo no corpo para evitar de ser derrubada

Esparza (dir.) reclama de Claudinha (esq.). Foto: Reprodução / Facebook UFC

A brasileira Claudia Gadelha colocou fim a cinco anos de espera e, após dois adiamentos e muitas provocações, derrotou Carla Esparza no UFC 225. Porém, a ex-campeã peso palha do Ultimate ainda não engoliu o revés do último sábado (09). A norte-americana acusou a atleta potiguar de ser trapaceira. Ela alega que Claudinha havia passado óleo no corpo para dificultar as tentativas de queda.

Veja Também

UFC 225: Claudinha Gadelha e Charles do Bronx dão show em card preliminar estrelado
Kelvin Gastelum admite ser o próximo desafiante de Robert Whittaker

Em entrevista ao programa ‘MMA Hour’, Esparza não poupou críticas a Gadelha. A ‘Cookie Monster’, como é conhecida, ainda questionou a decisão dos árbitros, que marcaram a vitória para a brasileira (29-28, 28-29, 29-28).

“Acho que venci, ela trapaceou. Ela passou óleo. Eu estava pensando em dizer algo para os juízes durante luta: ‘Ela está escorregadia’. Finalmente revimos a luta e minhas mãos estavam escorregando, quando tentava pegar o braço dela, os meus braços escorregavam. Ela é uma trapaceira. Mas isso não me surpreende. Na minha opinião, ela tem sido uma lutadora suja faz tempo”, afirmou Carla, quem, em seguida, reclamou dos árbitros.

“Acho que venci os rounds um e três. Acho que causei a maioria dos danos e não sofri muitos golpes. Ela me derrubou mais, mas não bateu muito. É uma luta, eu acho que você tem que fazer algo. Ela teve mais quedas e controlou por mais tempo. Alguns juízes consideram mais as quedas mesmo sem danos. Alguns não estão na mesma página. Foi decisão dividida. Gostaria que tivéssemos um padrão, assim saberíamos o que temos que fazer. Nunca sabemos o que vai acontecer com os jurados, o que vale mais, o que rende mais pontos. Com um padrão, teríamos uma ideia melhor do que fazer para vencer”, completou.

A rivalidade

Claudinha e Esparza protagonizaram uma das maiores rivalidades do peso palha (até 52,1 kg.) feminino. As duas já deveriam ter s enfrenado em duas oportunidades, no Invicta FC, show exclusivamente feminino. Em janeiro de 2013, a brasileira quebrou o nariz durante os treinamentos e deixou o combate. A luta foi reagendada para dezembro daquele ano, mas Gadelha passou mal após a pesagem e deixou a disputa novamente. Neste período, as duas trocaram provocações, mas só se enfrentaram no último sábado. A brasileira venceu na decisão dos juízes, mas ao que tudo indica, a norte-americana não digeriu a derrota.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário