Após vitória sobre Alvarez, Justin Poirier quer disputar o cinturão dos leves

Depois de uma revanche contra o ex-campeão da categoria que terminou com um nocaute no segundo round, ‘Diamond’ acredita que merece disputar o cinturão

J. Poirier (foto) admite que pode vencer qualquer oponente no chão. Foto: Reprodução/Facebook UFC

No primeiro encontro entre Justin Poirier e Eddie Alvarez o combate terminou sem resultado após um golpe ilegal do ex-campeão dos leves. Um novo compromisso foi marcado para do UFC Calgary, no Canadá, no sábado (28). ‘Diamond’ mostrou sua superioridade e venceu ‘Underground King’ por nocaute técnico no segundo round. Com uma vitória convincente, Gleen declarou que merece uma chance de disputa de título.

Poirier vem de quatro vitórias consecutivas, foram dois nocautes, uma finalização e um por decisão dos juízes. Pelo retrospecto, o lutador garante que está na fila para enfrentar o campeão dos leves. Ele admite que terá que esperar pelo vencedor do confronto entre os arquirrivais Conor McGregor e Khabib Nurmagomedov.

Veja Também

Eddie Alvarez manda recado para Dustin Poirier: “Vejo você em Calgary”
Alvarez avisa Poirier: ‘Vou dar joelhada na cara, mas em pé’

“Estou no topo, na melhor forma que já estive e quero continuar crescendo. Eu quero a chance ao título, sou o próximo, acho que conquistei isso, paguei meus pecados todos os anos nesse jogo egoísta, mas quem sabe o que vai acontecer? Depende de quando essa luta (Conor x Khabib) for acontecer”, declarou.

Justin reconheceu Alvarez como um dos melhores pesos leves da história do MMA profissional. Ele também contou as dificuldades que teve durante o camp para a luta principal do UFC Calgary.

“Foi outro camp muito longo, comecei machucado. Saindo da luta com o Justin Gaethje eu tive uma lesão no quadríceps e acabei engordando um pouco entre uma luta e outra porque não podia correr. Eu corro muito, mas não pude correr por cerca de seis semanas. Minha perna estava muito machucada, fui para a academia e tentei fazer o que foi possível, então esse corte de peso foi muito difícil. Mas, sabe, eu me sinto incrível. Eu sabia que tinha o potencial para ser o melhor do mundo, não busco atalhos, aprendo com os meus erros e com o meu sucesso. Dei tudo de mim para isso. Eu me sinto bem por vir aqui, venci um dos melhores pesos-leves da história”, revelou.

O nocauteador garantiu que é capaz de vencer qualquer adversário no chão.  “No camp eu estava fazendo muito bem a guilhotina. É algo que eu nunca busco porque sei que é mais difícil, mas senti que melhorei muito o meu jiu-jítsu e acabei acertando muitas guilhotinas. As pessoas subestimam o meu wrestling, mas eu posso ir para o chão e vencer qualquer um. Não tenho medo de perder posição. Eu tenho um preparo físico impressionante, as pessoas não sabem disso”, concluiu.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário