Lutadora do UFC é suspensa até 2044 por venda de drogas

A suspensão de 30 anos de Mara Borella foi determinada pelos Comitê Olímpico Italiano e Agência Italiana Antidoping

M. Borella foi punida com um gancho de 30 anos. Foto: Reprodução/Instagram @maramarvillarb

Mara Romero Borella vive um dilema pessoal. Ela foi acusada, em 2012, de venda e distribuição de drogas em bares, boates e academias da Itália. Após anos de um longo processo, a peso mosca foi suspensa por 15 anos (até 2029) pelo Comitê Olímpico Italiano. Entretanto, a lutadora foi denunciada em 2018 por mais duas violações e recebeu um novo gancho da Agência Italiana Antidoping que dobrou sua sentença. Com uma punição recorde, atleta será liberada para lutar em 2044.

Veja Também

Werdum recebe dois anos de suspensão por anabolizante usado para engordar gado
Após condenação por doping, Werdum reclama da USADA: ‘Meu apelido é Vai Cavalo, não Vai Burro’
USADA nega boatos de retorno financeiro para liberação Jon Jones

Na primeira contravenção de Borella, o Comitê a enquadrou no artigo 2.7 do código da Agência Mundial Antidopagem (WADA) que fala sobre o tráfico de substâncias proibidas.

Já em sua segunda transgressão, a italiana foi acusada de violação da primeira pena ao competir e utilizar de instalações esportivas do país.

Em seu Storie do Instagram a lutadora deixou uma mensagem: “Só eu posso me julgar. Eu conheço meu passado, sei o motivo de minhas escolhas, sei o que tenho por dentro. Eu sei o quanto sofri, sei quão forte e frágil posso ser, eu e mais ninguém”.

M. Borella deixou mensagem no storie do instagram. Foto: Reprodução/Instagram @maramarvillarb

Ela ainda pode competir no UFC

Apesar do maior gancho já aplicado a uma atleta,o futuro de Mara Borella ainda é indefinido. Como o UFC não segue as regras da WADA, o gancho aplicado pela Agência não é válido para o Ultimate. Portanto, a franquia pode mantê-la em seu quadro de atletas.

A italiana estreou no Ultimate com uma vitória sobre a brasileira Kalindra Faria no UFC 216 em julho de 2017. Em sua segunda luta a italiana foi derrotada por Katlyn Chookagian no UFC Charlotte em janeiro deste ano.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário