Brock Lesnar vai ter que pagar multa de US$ 250 mil para retornar ao UFC

A penalidade foi determinada em 2016 pela Comissão Atlética de Nevada, quando o astro da WWE foi flagrado em dois exames antidoping antes da luta contra Mark Hunt, no UFC 200

B. Lesnar não luta profissionalmente desde julho de 2016 (Foto: Reprodução/Facebook BrockLesnar)

Brock Lesnar quer fazer seu retorno ao Ultimate em duelo pelo cinturão dos pesados contra Daniel Cormier. Para que o astro da WWE seja liberado para lutar e o confronto seja confirmado, ele deve se manter limpo nos exames antidoping da Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA) que vem fazendo. No entanto, o lutador precisa resolver outra pendência que para poder voltar ao octógono do Ultimate. O norte-americano terá que pagar uma multa de US$ 250 mil para a Comissão Atlética de Nevada (NACs).

Veja Também

Brock Lesnar retorna a WWE, mas luta contra Cormier ainda deve acontecer no UFC
Se Lesnar não puder lutar, Daniel Cormier admite revanche contra Stipe Miocic

Na terça-feira (08), o comitê informou que Lesnar ainda não havia pago a multa aplicada em 2016, quando foi flagrado em dois exames antidoping antes da luta contra Mark Hunt, no UFC 200. Com isso, Brock permanece inelegível para competir em competições nas artes marciais mistas por tempo indeterminado.

Vale lembrar que Lesnar está inelegível USADA e os NACs e precisa pagar a multa integralmente ou concordar com um plano de pagamento com a comissão antes de ser autorizado a pedir a licença para competir. Brock também terá de se submeter a três testes antidoping (30, 15 e três dias antes de qualquer luta). Além disso, ele necessita apresentar a um porta-voz do comitê um pedido de licença 30 dias antes de qualquer competição no MMa.

Lesnar não luta profissionalmente desde julho de 2016, quando enfrentou Mark Hunt no UFC 200. Brock foi flagrado no exame antidoping pelo uso da substância Clomifeno e o resultado foi revertido para um ‘no contest’. Com isso, ele voltou a se afastar do MMA e assinou com a WWE.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário