Al Iaquinta afirma que McGregor não merece revanche pelo título dos leves

O lutador afirmou que Conor não fez nada no UFC 229 lhe garanta uma revanche e se a franquia realizar reencontro entre os arquirrivais será pelo dinheiro

A. Iaquinta vem de vitória no UFC Milwaukee. Foto: Reprodução/Instagram @aliaquinta

Conor McGregor foi finalizado por Khabib Nurmagomedov na luta principal do UFC 229 em outubro de 2018. Desde então, o presidente do Ultimate, Dana White vem planejando uma revanche entre os arquirrivais. Entretanto, Al Iaquinta acredita que ‘Notorious’ não fez nada para merecer uma nova luta pelo título dos leves.

Veja Também

Khabib rejeita novo duelo com McGregor: ‘Revanche pelo quê?’
Presidente do UFC planeja revanche entre Khabib e McGregor em 2019

Em entrevista ao site norte-americano MMA Junkie, Iaquinta afirma que se o Ultimate realizar a revanche entre McGregor e Nurmagomedov será pelo dinheiro que o confronto lhe renderá.

“Ele conseguir uma revanche não é justo. O dinheiro fala, mas vamos ser sérios. […] Nada do que ele fez naquela noite (no UFC 229) garante uma revanche”, disse o peso leve.

Após a vitória sobre Kevin Lee no UFC Milwaukee, Iaquinta desafiou Nurmagomedov para uma revanche pelo título dos leves. No entanto, o lutador está atrás de Tony Ferguson, Conor e Dustin Poirier no ranking da categoria. Pensando nisso, ele pediu uma luta com um dos Top 3 da categoria para se credenciar a uma nova disputa de título com o russo.

“Eu quero lutar contra o Tony Ferguson. Eu quero lutar contra Conor McGregor, Dustin Poirier. Uma vitória sobre qualquer um desses caras me dará uma revanche com Khabib, que é algo que eu quero fazer este ano e ter um campo de treinamento completo, realmente estar preparado. Eu sei que é uma luta que seria muito diferente na segunda vez”, contou Al.

Apesar do desejo de enfrentar Khabib, o lutador afirma que Ferguson deve ser o próximo desafiante ao título da categoria. Segundo o lutador, ‘El Cucuy’ conquistou o direito de encarar o russo após somar 11 vitórias consecutivas na organização.

“Ele montou uma série de vitórias nesta divisão dos leves que é notável. […] Por mais que eu não aguente o cara, eu posso respeitar que ele é um concorrente difícil, e ele definitivamente ganhou isso”, concluiu Iaquinta.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário